Max Gehringer estreia no ‘Fantástico’ o quadro ‘Você é o Dono’

Hoje há seis milhões de micro e pequenas empresas formais no Brasil. De acordo com o Sebrae, em apenas quatro anos esse número deve subir quase 50% e beirar os nove milhões. Isso representará um negócio a cada 24 habitantes. Uma previsão que mostra o desejo de muitos brasileiros em ser os donos do “próprio nariz”. A partir deste domingo, dia 2 de outubro, o ‘Fantástico’ exibe o novo quadro de Max Gehringer, em parceria com o Sebrae SP, ‘Você é o Dono’, que aborda os desafios do micro e pequeno empresário.

Durante cinco semanas, o quadro acompanha a rotina de três microempresas para mostrar as dificuldades e, principalmente, as armadilhas para os negócios dos micro e pequenos empresários. “Vamos mostrar que entusiasmo e otimismo são duas características louváveis para começar um negócio, mas são também as maiores responsáveis pela quebradeira de metade das microempresas em menos de três anos”, diz Max Gehringer.

O Sebrae – Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – aponta alguns erros recorrentes que prejudicam os negócios já no primeiro ano de vida. De acordo com uma pesquisa, seis em cada dez microempresários em São Paulo perdem o dinheiro investido no negócio. E metade dos empreendimentos morrem em até cinco anos. “A cada programa, vamos apresentar os progressos conseguidos a partir da adoção de medidas simples, mas que nem sempre são tão óbvias para quem está envolvido o dia inteiro na operação”, completa Max.

No primeiro episódio, Max Gehringer apresenta as três microempresas que têm históricos distintos – uma começando do zero, outra com dois anos de vida, e a terceira há 25 anos no mercado. Já na estreia, Max e os consultores apontam alguns problemas que todas trazem. O quadro tem ainda a participação de Tadeu Schmidt, com narração de informações e dados do Sebrae.

Perfil das microempresas

Salão de beleza – com 25 anos no mercado, os três irmãos Luis, Thiago e Sidinéia Bertocci são donos desse salão. Mesmo com experiência no ramo, eles não conseguiram ter uma organização financeira. O grande problema é misturar as contas pessoais com as profissionais.

Firma de limpeza – as irmãs Camila, Valéria e Vanessa abriram essa empresa, que ainda não completou um ano. Elas já têm várias ideias para ampliar os negócios, mas as ações são muito amplas e sem foco, o que pode prejudicar o andamento do empreendimento.

Empresa de almoços – Sérgio Ferreira e Fernanda Gouveia iniciaram o negócio depois que perderam o emprego. Eles são organizados e não misturam as contas pessoais com as do trabalho. Mas estão muito envolvidos na operação e acabam sem tempo para planejar um crescimento estruturado.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *