Me fez sentir: A Vida da Gente #retro2011

17 de janeiro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Sempre aparece alguém dizendo que a fórmula das novelas está esgotada e que todas as histórias já foram contadas.

Como assim, se cada um de nós tem uma história, como dizia a chamada de uma das novelas do Maneco?

Basta ver as boas histórias que Astrid Fontenelle consegue no Chegadas e Partidas.

Os autores que estão no ar há décadas estão repetitivos, como tem contrato garantido, escrevem qualquer coisa e boa.

Basta analisar: as últimas telenovelas que fizeram diferença na telinha são de autores novatos no mercado ou, definindo melhor, os que estão tendo agora a oportunidade de voarem sozinhos.

Escrito nas Estrelas, Cordel Encantado, A Vida da Gente e as de João Emanuel Carneiro são apenas alguns exemplos.

A gente precisa, portanto, de vida nova, de vida inteligente, de pessoas que realmente querem criar e nos fazer viajar na fábrica de sonhos.

E é isso que A Vida da Gente tem feito: uma história aparentemente simples mas com um tempero inesquecível.

Lícia Manzo é o que poderíamos chamar de “Maneco renovado”. Não a toa eu digo que A Vida da Gente é o que Viver a Vida poderia ter sido.

Essa novela, como poucas atualmente, me faz sentir.

* Para quem não sabe, quando gosto muito de algo a ponto de me emocionar e me envolver, uso o slogan da Warner Channel e digo que tal coisa “me fez sentir”. Esse é o “Retrô 2011” do Cena Aberta!!