Medo: Band pretende voltar a fazer novelas em 2013

26 de novembro de 2012 0 Por Endrigo Annyston
Quem divulgou esta notícia foi o jornalista Flávio Ricco. Da última vez que a Band brincou de fazer novelas mais de 200 pessoas foram demitidas quando a emissora simplesmente resolveu desistir da sua teledramaturgia. Isso aconteceu mais precisamente em 2008 com o termino da novela Água na boca. Em 2007 a emissora voltou à teledramaturgia com Dance, dance, dance que, para os padrões da Band, foi até muito bem, marcou entre 4 e 5 pontos. Já Água na boca novela que viria depois, protagonizada por Rosanne Mulholland, a atual professora Helena de Carrossel, não foi bem marcando entre 1 e 2 pontos.
  
Dance, dance, dance e Água na boca foram exibidas na faixa das 8 e meia. Já que entre 2006 e 2007 a emissora exibiu às 10 e depois às 6 da tarde a novela Paixões proibidas, uma co-produção com a portuguesa RTP, que foi muito mal de audiência. Com o relativo sucesso de Dance, dance, dance ficaram animados e produziram Água na boca e mesmo com o fracasso dessa chegaram até a comprar um texto da Telemundo, emissora que transmite conteúdo latino nos Estados Unidos. Contrataram para adaptar esse texto a experiente autora Ecila Pedroso, que havia adaptado vários textos mexicanos para o SBT. Essa novela era uma trama rural e com um conteúdo mais forte seria exibida às 10 da noite, a emissora se arriscaria no horário novamente. Mas não saiu do papel. E de presente de natal em 2008, mais de 200 funcionários que compunham o núcleo de teledramaturgia da Band ganharam a demissão. 
Fazer novela, principalmente fora da Globo, não é brincadeira, por isso torço para que se a Band estiver mesmo disposta a fazer, que faça com consciência, calculando os riscos e que saiba o que fazer, que não dê tiros no escuro como fez antes. Se fizer bem feito será até bom, pois é mais uma opção tanto para os telespectadores, quanto para o mercado, mas se for para fazer como fez em 2008 é melhor nem começar. Ou, já que gosta tanto da Argentina, pode comprar umas novelas prontas por lá, porque se não der audiência o corte será menos traumático do que o desmanche de um núcleo inteiro nacional. Fico por aqui, um abraço e até a próxima.
* Gilmar JM