MDA: Um final bunda para a melhor novela da temporada

Em meados de 2011 a Rede Globo lançou O Astro para celebrar os 60 anos das telenovelas no Brasil, o maior produto de nossa TV.

Meses depois reestreou Mulheres de Areia, também em comemoração ao aniversário, em sua terceira reprise. E novamente fez sucesso, superando até O Clone cujas apostas na reprise eram grandes.

E é uma história tão, mas tão boa, que é melhor que as produções atuais. Melhor que A Vida da Gente, inclusive.

Valeu a pena “perder as tardes” nos últimos meses, em meio a todo esse calor, para rever a trama de Ivani Ribeiro. De novo.

Muitas emoções, boas risadas e, agora, tem aquela dorzinha que todo seriemaníaco ou noveleiro conhece: a dorzinha da despedida de nossas favoritas.

Além de agradecer Ivani e a Globo, pelo presente, um salve especialmente para os citados, que arrasaram e vão deixar saudade:

Glória Pires, Marcos Frota, Vivianne Pasmanter, Andréa Beltrão, Humberto Martins, Eloísa Mafalda (saudade, saudade, saudade!!!), Paulo Goulart, Nicette Bruno, Sebastião Vasconcelos, Laura Cardoso, Karina Perez, Suely Franco.

Em especial aos que infelizmente não estão mais entre nós, mas que fazem falta, mas deixaram trabalhos formidáveis: Raul Cortez, Carlos Zara e Adriano Reyes.

Sobre o final, sinceramente, esperava muito mais. Tirando Malu e Alaor, não aproveitei nada. Salvaram o despecho.

O que era Ruth dizendo para Marcos: “Vamos buscar nossa estrela!”? #medo

Sorte que esse detalhe não compromete a obra, que é um espetáculo!

#saudade

One thought on “MDA: Um final bunda para a melhor novela da temporada

  1. Uma pequena correção: essa não foi a terceira reprise da novela e sim, a segunda, pois ela foi apresentada pela primeira vez em 1993, no horário das seis da tarde, teve sua primeira reprise entre 25 de novembro de 1996 e 25 de abril de 1997 e agora foi a sua SEGUNDA reprise e não a TERCEIRA como essa matéria equivocadamente fala. Podemos contar três exibições de Mulheres de Areia se mencionarmos as duas reprises e mais a exibição inédita em 93. Me desculpa dizer, você que escreveu essa matéria, mas você viajou na maionese com essa história de "terceira reprise".

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *