Não falei que os roteiristas atuais deveriam ver essa novela?

10 de fevereiro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Onde foi que os roteiristas se perderam no tempo? É preguiça ou tipo o que?

O que tem de novela com potencial que se perde no meio do caminho após um início sensacional não tá escrito.

Só nos últimos tempos posso citar Cama de Gato, Escrito nas Estrelas, Cordel Encantado e agora A Vida da Gente.

Eu gosto de “babado, confusão e gritaria”, entre aspas como resultado de “muitos acontecimentos, um atrás do outro”.

Gente, Vale Tudo usou um simples artifício de maionese envenenada, isso na década de oitenta, e só isso gerou um tremendo forfé na trama.

Vendo Mulheres de Areia é fácil verificar que Ivani Ribeiro sabia cativar seu público porque não existe barriga ali.

Raquel roubou Marcos de Ruth e depois “morre”; a irmã boazinha se faz de má e a ruizinha fica na moita esperando a hora de voltar. E voltou, causando horrores, como era esperado.

A cara de Virgílio Assunção era impagável!

“Ra-ra-Raquel?? Vi-viva??”

Ainda tem um mês pra terminar e, certeza, muitos outros acontecimentos pela frente.

E é isso que faz com que você sinta vontade de assistir no dia seguinte, de julgar como “imperdível”.

Se os folhetins de hoje usassem o famoso “a seguir, cenas do próximo capítulo” terminaríamos de assistir o bloco final bocejando. No mínimo.