No troca troca o SBT realmente levou a melhor

Anos atrás, uma bomba: Gugu estava deixando o SBT e seguindo rumo a Record.

O resultado? Uma guerra, o SBT se vingou e tirou do canal dos bispos Eliana, Roberto Justos, Tiago Santiago, Roberto Cabrini e Richard Rasmussem.

Justus não fez diferença em nenhum de seus projetos, acabou voltando pra sua antiga casa com um programa sem graça que ocupa a quarta ou quinta posição nas noites de segunda.

Rasmussem também não fez nenhum estrago com seu Aventura Selvagem.

Já Santiago, apesar de suas telenovelas água com açúcar terem audiência insignificante e inferiores a das reprises da tarde, há uma vantagem: seus folhetins foram os maiores sucessos da Record, que hoje patina no segmento. Ou seja, ponto para o SBT.

Roberto Cabrini demorou para engrenar. O Conexão Repórter, apesar de premiado, não emplacava e correu risco até de sair do ar. Insistiram e hoje, em determinadas edições, chega bater a Globo. Mais um ponto para o SBT.

Falemos um pouco de Gugu. Estreou para confrontar Silvio Santos e, poucas semanas após a estreia, levando constantes surras do ex-patrão, migrou para as tardes. Ali só ameaça Faustão cerca de uma, duas vezes ao ano. Lembrando que no início da década passada era líder absoluto.

Não bastasse isso, Eliana, que fez muito sucesso nos domingos da Record com o Tudo é Possível, se mantém em alta no SBT. No horário de Gugu.

Agora em que o confronto é direto, então, a lavada tem sido ainda mais considerável. Ou seja, Gugu, que motivou todas essas trocas, com um programinha tão ruim quanto a atual fase do seu antigo Domingo Legal, dá prejuízo a Record. Mais um ponto para o SBT.

No último domingo tentou se “repaginar”, tirou o terno e vestiu polo. Além disso, tentou “rejuvenecer” o Qual é a Música, sucesso do SBT. Acho que nem se ele se vestisse de Pintinho Amarelinho…

É aquela velha história: as atrações dizem que vão ter novidades e, ano após ano, seguem vivendo de passado. Ano passado mesmo Gugu voltou com o formato “Escolinha”.

E qual a pontuação da Record nesse ranking? Inexiste.

Mas vamos combinar? O Eliana, no SBT, se renovou diversas vezes desde a estreia. Está em constante mutação, buscam formas de atrair o público.

O que faz a produção de Gugu? Vê a banda passar.

Quem sabe se como os demais programas da Record ele investir em sensacionalismo? Fica a dica… vai que inventam até uma entrevista falsa pra tentar impulsionar os índices, hein? Ah, ele já fez isso….

6 thoughts on “No troca troca o SBT realmente levou a melhor

  1. Resumiu tudo meu amigo! Só discordo do Aventura Selvagem, que esteve muito bem quando era sábado batendo de frente com Legendários, variando entre 6/7 pontos e sempre vice. Mas aquele dedinho do SBT mexeu demais com o programa, tirando a curiosidade do Telespec!
    Gugu de polo? Qual é a Música não sendo no SBT ? A Record já fez essa lambança com Ídolos e não aprendeu (kibon rsrsrs). Gugu irá terminar sua carreira na Band, escreva na sua agenda isso!
    Só vejo Gugu no SBT hoje, ocupando as noites de sábado, aí sim ele poderia render um pouco mais… porque seu destino é a BAND!

  2. A tv aberta está passando por uma fase crítica, só ficará o que se sobressair mesmo.
    Inclusive a Globo com suas novelas que são xodó do povo brasileiro está com dificuldades.
    Imagine então quem não tem carisma!
    O Gugu até teve, mas foi com a pegadinha do PCC que viu seu ibope despencar.
    Na tv aberta o que não der resultado a curto prazo, vai para o buraco do esquecimento.

  3. Discordo do post mas muito particularmente com relação ao Tiago Santiago. Quando ele saiu da Record já não era nem sombra do que foi e, nesse aspecto, a Record nada perdeu. Nem tampouco o SBT. O único ganho do SBT, e nem é lá essas coisas, foi a Eliana. O resto foi seis e meia dúzia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *