O Brado Retumbante: A queda de um presidente

27 de janeiro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Nesta quinta, no penúltimo capítulo de O Brado Retumbante, vimos um Paulo Ventura diferente dos episódios anteriores.

O homem galinhão, firme na luta contra os corruptos, tem um fraco: assim como muitos, acha legalzinho colocar chifre, no entanto, contudo e todavia, quando o galho surgiu na cabeça dele, a situação mudou de figura.

Chorou, pediu penico, só falou se ajoelhar nos pés de Antonia, que, mesmo aparentemente balançada com os pedidos de desculpas, se manteve firme e decidida a encontrar seu amor em Buenos Aires.

E quanto mais o presidente afunda mais a oposição faz a festa. O que era aquele video “familar”?

Aí que essa produção, uma das melhores já exibidas na TV brasileira, chega ao fim logo mais a noite.

Qual o desfecho que nos aguarda?

Minha única certeza e: desde Desejos de Mulher não apreciava um trabalho de Euclydes Marinho. Quer dizer, tô vendo aqui que ele também escreveu A Diarista, ou seja, desde essas duas produções, portanto. E o texto é um dos pontos altos da minissérie, somado a direção e elenco. Tudo resulta nessa grande produção que pode não ser líder de audiência e está longe de ser um sucesso, mas não está abaixo da crítica assim como diversos outros produtos que caem nas graças do público.

É um achado!