O canal faz o profissional?

Desde que o mundo é mundo vemos profissionais mudarem de emissoras, seja por uma proposta melhor, seja por uma necessidade de crescimento profissional ou apenas por querer respirar novos ares e ter novas experiências profissionais. Mas o que eu quero abordar é outro aspecto, é que nem sempre na “nova casa” o profissional consegue se achar no novo projeto, fazendo com que o mesmo perca os holofotes e acabe muitas vezes na geladeira.

Tenho muitas exemplos e vou citar e refletir sobre os mesmos:

Vou começar por ela, Ana Paula Padrão. Na rede globo comandou o telejornal “Jornal da Globo” de 2000 a maio de 2005, e Jornal Nacional de 1998 à 2005 revezando bancada com Willian e companhia. Na emissora era uma “das” jornalistas mais influentes com uma credibilidade incontestável, credibilidade essa que a levou ganhar vários prêmios. Do nada e subitamente surgiram boatos de que se mudaria para o SBT, pois queria mais tempo para se dedicar ao marido e ao lado pessoal, além do salário bem maior que é de praxe de Silvio Santos. Sua mudança foi muito comentada, até o presidente Lula fez questão de parabenizá-la e ficou por isso.  Serio, quando ela entrou, eu disse pra mim mesmo; nossa agora o jornalismo do SBT vai, mas não foi bem assim. A sua passagem pelo canal foi apagada e cada vez mais a audiência desmoronava mais. Em 2009 mudou pra Record onde hoje comanda o “Jornal da Record”, sim eu vejo as vezes e gosto. Mas duvido que ela recupere o “tchan”, não por ela, mas pela Record em si, que dispensa comentários.

Eu ADORAVA, digo em caixa alta por que era demais mesmo, Daniele Cicarelli; Na Mtv era a Vj mais legal na minha opinião, o Beija Sapo era imperdível. Ela no programa era desenvolta era divertida, sabe quando você gosta tanto do programa que espera a semana inteira ansioso para ver, era assim. No auge do auge a Band fez uma proposta e ela aceitou, mudou e hoje está na geladeira.

Falando em Band ela é recordista em fadar ao fracasso os seus profissonais vou listar; Patricia Maldonado, quando mudou para a emissora eu logo pensei; agora ela vai ser melhor aproveitada e vai ter o espaço que merece. No começo até foi, o Dia a Dia era legal mas ninguém merece tantos comerciais, hoje não sei sobre ela. Deve estar num lugar frio chamado geladeira. Na mesma situação está a Lorena Calabria, que deixou o GNT onde comandava o “Happy Hour” para apresentar o mesmo “Dia a Dia”.

Os comediantes não fogem desse mal.,  Temos também Os Barbichas que foram para a Band e lá já não eram tão legais como na Mtv. E o que dizer do “Mendigo e o Gluglu”, ex-integrantes do Pânico que quando mudaram para Record foram mega festejados e hoje fazem papeis lastimáveis na emissora?

Será que eu preciso comentar sobre o programa “Legendários” e seus ex-profissionais da MTV? Papelão.

O mais recente de todos é o Edgard Piccoli que era mega reconhecido em sua emissora e aceitou comandar o novo projeto da Band intitulado “Busão do Brasil”. Desejo sorte, pois gosto dele como profissional. O estranho é que já na chamada eu não vi o mesmo Edgard do Multishow.

Há casos como Eliana, Justus e companhia mas esses até que ainda estão se mantendo bem. A conclusão que eu chego é que sim, a emissora faz o profissional. Seja pela estrutura que lhe é proporcionada, seja pelo programa que lhes é dado que muitas vezes não se encaixa com o perfil do profissional.

Talvez as emissoras tenham expectativas imediatas que poucas vezes são correspondidas e acabam prejudicando tanto o profissional quanto a emissora em questão, que por sinal é uma pena. O telespectador que perde mais uma opção de entretenimento.

* do internauta Hugoh D.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*