O cancelamento de Batendo o Ponto e a Globo de olho em The Voice

Assisti dois programas do novo reality show musical The Voice. Já era pra ter visto também o terceiro mas ainda não tive tempo.

O que achei?
Bem bacana, tem uma proposta diferente: os candidatos fazem suas apresentações sem ser vistos pelos jurados,  por isso tem chamado a atenção

Só não sei se depois fica como o American Idol: repararam que parei de assistir?

Como só estou torcendo para a Haley, falta paciência para conferir um programa de 1h30 recheado de intervalos – eu prefiro assistir ao vivo.

Devo voltar já nessa semana, é reta final.

O interessante, no caso, é que a Globo está se acertando com o The Voice, ou seja, se isso acontecer está decretada a morte do Ídolos, que nunca emplacou ninguém nas paradas. E vai ficar pior, pois a Globo terá um reality com força, primeiro por ter mais audiência e também por ser um formato diferente.

Tudo tem um lado ruim: a direção pode ser de Boninho (eca!).

Já sobre Batendo o Ponto… tão previsível, não?

A Globo só apostou nessa série porque deu audiência como especial de fim de ano, mas uma coisa é uma coisa e outra coisa é outra coisa.

Especial costuma dar retorno, sempre é muito bem divulgado.

Só que Batendo o Ponto nunca foi boa e ainda trouxe Ingrid Guimarães fazendo o mesmo de sempre. Eu mesmo já enjoei.

Prefiro Heloísa Perissé, tá sempre se renovando. Agora mesmo está muito bem em Cordel Encantado e em nada lembra personagens anteriores.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*