O drama das #novelas: encontrar o ritmo e envolver

Insensato Coração está morna ainda, mas Vale Tudo está numa semana eletrizante. E agora a burralda da Raquel vai começar a ficar rica e prosperar e vai mandar todo mundo pastar!

Eu assisto Vale Tudo muitas vezes me detendo no estilo de se fazer novela naquela época. Cenas longas, cortes bruscos, presença maciça da protagonista em quase todo o capítulo.

Com o aumento da duração dos capítulos, aumentou-se o número de núcleos, muitas vezes de maneira até exagerada como em Caminho das índias e Páginas da Vida. Eram tantas histórias pra contar e nenhuma contada de maneira convincente, de modo que o público pudesse se identificar fortemente com alguma trama da novela. Dessas características presentes em Vale Tudo que citei o João Emanuel Carneiro ainda explora muito os cortes bruscos, mandando a coerência temporal para o espaço em favorecimento do ritmo aluciante e envolvente da narrativa no melhor estilo Sidney Sheldon.

O grande drama da teledramaturgia contemporânea se resume a encontrar o ritmo certo de narrar e envolver o telespectador. JEC, atrevido e ousado, encontrou a receita para este problema


* do internauta Professor Bruno Matos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *