O Que Virou as Tardes Televisivas?

30 de outubro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Já não é de hoje que a reclamação é geral: a programação da TV aberta no horário da tarde é  de qualidade duvidosa. Senão reprises (tanto de filmes ou de novelas), assistimos a programas que bordam e rolam de polêmicas, seja utilizando anônimos ou famosos.

Ontem (29/10), por exemplo, o Programa da Tarde da Record utilizando fotos de famosos que estavam bem vestidos ou não, eram alfinetados por Ana Hickmann, Britto Jr. (que entende o que de moda?), Ticiane Pinheiro, Gustavo Sarti e Matheus Mazzafera. O nome do quadro é Babado Fashion.

Os apresentadores e “entendentes de moda” destilavam todo o veneno falando o mais ironicamente possível sobre o visual dos famosos. A certa altura, Mazzafera que mais elogiava e fugia de alfinetar, foi cutucado por Ticiane e não se aguentou: “faz o seu que eu faço o meu”. O clima pesou, o estilista ficou calado e preferiu falar pouco no restante do programa.

Mais tarde veio o “Donos do Jogo”, quadro importado do Hoje em Dia, recebendo Agnaldo Timóteo. Questionado sobre sua sexualidade, Timóteo fez questão de dizer: “Quando eu fecho a porta da minha suíte, e é uma bela suíte, eu não quero saber se eu estou com a Bombom, hipoteticamente, ou com o Ronaldinho Gaúcho, é problema meu. Eu estou lá com alguém com quem eu me sinta bem”. Esse mesmo depois disse que o beijo gay em público é uma agressão. Depois de tanta hipocrisia, preferi não continuar acompanhando.

Logo no SBT o programa Casos de Família trazia o tema “Adoro ficar com mulheres que são bem mais novas do que eu”. Casos horrorosos de meninas que na infância tinham sido abusadas (apesar de dizerem que fizeram por vontade própria, de certa forma foram seduzidas a terem relações com homens com mais de 40 anos, enquanto elas tinham na época entre 11 e 14 anos).

Hoje estavam casadas com eles, e tinham receio até de deixar seus próprios filhos sozinhos com seus maridos. Apesar de muita bagunça e dias de pura baixaria, algumas vezes são apresentados casos espantosos e que de certa forma podem ajudar a sociedade.

Durante todo o programa era enfatizado o Disk 100 para denunciar casos de abusos infantis e a presença de um psicólogo especialista em casos semelhantes.

E esses são exemplos do que pode ser visto nos canais da TV aberta de segunda a sexta, tirando as reprises. Talvez explique de certa forma por que o horário está cada vez mais em baixa e com menor quantidade de público sintonizado.

* Guilherme Rodrigues