Olimpíada com sabor de mico para a Record

Ana Paula Padrão deu o pontapé inicial das transmissões da Olimpíada na Record dizendo estar no Jornal da Globo. Dias depois, leva um “coice” de um treinador.

Adriana Araújo é acusada de fazer perguntas sem noção.

Competidores dando entrevista para outros canais antes de falar com a da e-x-c-l-u-s-i-v-i-d-a-d-e?

A emissora, assustada com a audiência baixa, corta as transmissões e entra com o Cidade Alerta.

Os índices, aliás, foram muito aquém do desejado. Tipo o que a Band conseguia enquanto competia com a Globo.

Dá pra entender? A audiência da Globo ficou intacta, com ou sem partida, e a Record se contentou com migalhas.

Pra muita gente, se não está na poderosa, certos eventos inexistem. E a Olimpíada já nem tem o mesmo apelo de uma Copa.

Acharam que iriam bombar com o Pan, e nada. Com a Olimpíada, nada.

Susto mesmo só conseguiram dar no último sábado, quando atingiram o triplo da Globo. Fora isso, alternavam entre a vice e terceira posição com o SBT.

Pra quem gastou rios de dinheiro, é pouco, muito pouco.

Estão acostumados, não? Já levaram a própria Padrão, Gugu e cia, pagando fortunas, e juravam que isso bastaria pra derrubar a “concorrente”. Gugu, aliás, deu quatro pontinhos domingo, perdendo pelo segundo domingo consecutivo para o Domingo Legal.

O curioso, no final das contas, é que acusavam a Globo por conta do monopólio e mostram que, com um pouquinho de poder, acabam agindo da mesma maneira.

Quer dizer, no caso, a emissora carioca ainda divide as transmissões com a Band. Essa sim, sempre com a melhor cobertura.

Deixa pra próxima!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *