Os Maias: Muito superior ao que me recordava

Os Maias realmente tem sido um presente nos finais de noite. E eu já sabia que seria assim, só que a memória costuma me trair.

Não me lembrava de muita coisa, como, por exemplo, um dos melhores trabalhos da carreira de Matheus Nachtergaele.

Teodorico é um achado, personagem divertido e debochado que tem duas vidas. Em uma delas é um santo para enganar Titi, na outra, um devasso capaz de loucuras para conseguir estar nos braços da amada Encarnación.

Além dele, Selton Mello como João da Ega, Osmar Prado (Alencar) e Ewerton de Castro (Vilaça), além dos já citados em outros comentários.

Não me recordava de Rita Elmôr. Curioso, só dez anos depois ela chamou minha atenção, em Separação.

E Ana Paula Arósio? Parece uma pintura de tão bela.

O mais instigante da história são os pressentimentos de Dom Afonso, ele sempre sabe que alguma coisa não está cheirando bem. E desconfia que o final não é de seu gosto.

Há alguns capítulos começou a se recordar de Maria Monforte e questionou Vilaça se a menina, sua neta, realmente está morta.

Depois começou a olhar Carlos Eduardo com outros olhos, o mesmo olhar que lhe fez visualizar a perdição de Pedro.

Cabe dizer, por fim, que apenas destaquei alguns em um elenco onde ninguém sobra. Os Maias é repleta de talentos e shows de atuação.

Não a toa é a melhor minissérie que já vi na vida.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*