Ótimas atuações independem da emissora em que serão transmitidas

12 de outubro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Algum tempo atrás me falaram que, em determinado canal, alguns atores aparentam não estar bem em cena, como se a emissora fosse culpada pelo bom desempenho de um ator ou não. Eu discordo em parte, quem trabalha bem, se sobressai seja aonde for. Lógico que a direção da produção orienta e vai guiando o ator para que ele faça o melhor em cena, mas se ele não tem talento, não tem direção no mundo que concerte isso naquele momento.

Hoje vejo por exemplo a atriz Débora Duarte em cena na reprise de Canavial de Paixões e na novela Lado a Lado. Tanto no SBT quanto na Globo, ela faz um excelente trabalho. Seja como a descontrolada Tereza ou como a intrometida Dona Eulália, a atriz desempenha muito bem o seu papel. O mesmo vale para Helena Fernandes que também está na produção do SBT e hoje faz parte do casting da Globo.

Lucinha Lins é outra atriz que surpreende. Depois de um bom tempo de Rede Globo,foi para a Record onde viveu brilhantemente sua primeira vilã, a Vilma de Chamas da Vida, e a doceira Zizi em Vidas em Jogo, que apanhava de seu marido. Lucinha consegue desempenhar tanto personagens doces, quanto também agressivos e dissimulados. Destaco também seu papel em Esmeralda, adaptação mexicana do SBT onde interpretou Branca, mãe da personagem principal. Nas três emissoras que trabalhou, Lucinha conseguiu excelente desempenho.

Entre outros nomes que transitam de emissoras e fazem ótimos papéis estão Lavínia Vlasak, Marcelo Serrado, Gabriel Braga Nunes, Paloma Duarte, Jussara Freire, Andréia Horta, entre tantos.

A emissora não é responsável pelo trabalho do ator. Composição, talento e desenvolvimento do personagem é responsabilidade de quem decidiu aceitar o papel e vai através dele mostrar se é capacitado ou não de representá-lo.


* Guilherme Rodrigues, estudante de jornalismo da UNITAU