Outro excelente filme nacional

12 de abril de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Curioso que já está se tornando um hábito dizer que um filme estrelado por Selton Mello é um dos melhores já feitos no Brasil.

Tirando O Homem do Futuro, a maioria que me atrai tem seu nome no elenco. E dessa vez ele dirigiu o longa.

Logo nas primeiras cenas eu pensei “nossa, que boring” afinal usaram situações pra lá de batidas na apresentação dos palhaços.

Mas é a partir dali que vemos que nossa insatisfação é a mesma de Benjamim, cansado do mais do mesmo, das cobranças, da vida. De tudo.

Ele encontra naquela moça de Passos a esperança para algo novo, um recomeçar, uma nova profissão.

E tem aquele choque de realidade, né? “Nem tudo que reluz é ouro” e, apesar de não estarmos plenamente satisfeitos, a nossa vida é aquela ali e ponto.

O que podemos é melhorá-la, mas é muito mais complicado querer ser outra pessoa.

O Palhaço é uma produção curta e, nesse pequeno espaço de tempo, conseguiu dar seu recado. Fez rir e fez pensar.

E admirar atuações como a de Selton, Paulo José e Moacyr Franco. Aliás, entendi o motivo de Moacyr ter sido premiado por uma participação tão pequena.

Quer dizer, nem tanto. Aquela velha história de que tamanho não é documento, afinal, o filme não teve intermináveis três horas de duração e rapidinho disse a que veio.

Dá orgulho quando o Brasil deixa um pouco a favela e a criminalidade de lado e coloca a cabeça pra pensar. Filmão!!!