Pan 2011 pode ter sido a resposta que a Record não queria ouvir

Vamos falar sério, sem deboche?

A Record quando decidiu fazer o remake de A Escrava Isaura – e mandou muito bem – deu inicio a uma nova e grandiosa fase, foi um divisor de águas. Passaram a investir em qualidade e conseguiram contratar gente de peso que acreditou nessa nova emissora.

Rolou o que, uns dois três anos de muita coisa bacana?

Foram crescendo, ultrapassaram o SBT e deram um susto na Globo, o canal dos Marinho viu que, putz, agora sim parecia existir uma concorrente que realmente iria sacudir as estruturas da poderosa.

Nesse momento, quando atingiram o que julgaram ser o clímax da história, acreditaram que já eram os donos do pedaço e pararam de trabalhar pra conquistar esse objetivo. Falo do trabalho sério que vinham desenvolvendo, eles não souberam dar continuidade.

De repente eles tem dois produtos de grande audiência nas mãos, A Fazenda e Os Mutantes, e o que fazem? Reprisam a novela sem ter acabado, colocam o reality na programação do dia inteiro e… quando os produtos acabaram, o que sobrou?

Tenho para mim que se o Pan tivesse acontecido nesse período teria sido um fenômeno, pois, de fato, a Record estava em um excelente momento, tudo conspirava a seu favor porque tinha gente seriamente empenhada em fazer e acontecer. Hoje eles falam que vão acontecer, mas…

É sério, acho que até a Globo tinha c-e-r-t-e-z-a que iria tomar umas lambadas do canal do bispo com o Pan, assim como eu estava crente que as últimas duas edições de A Fazenda iriam arrebentar, o elencoestava repleto de personalidades polêmicas. Não rolou.

E sabe porque? Eles tem o brinquedo e não sabem brincar, estão perdidos.

Não existe uma grade fixa e um compromisso sério com o telespectador, fazem loucuras na programação repetindo os erros que Silvio Santos já cometeu com o SBT – e ele pagou bem caro por isso. E a Record sabe que foi exatamente por esse motivo que o telespectador fez a troca.

Mas trocaram seis por meia dúzia?

Acho que o resultado desse Pan é uma resposta interessante do público para a Record. Se não souberem analisar, se não refletirem a respeito de suas atitudes, a Olimpíada tende a ser um mico ainda maior.

O telespectador tem opções, hoje a classe C está mudando os rumos da TV paga no país e, fora isso, a internet a cada dia que passa chega a milhões de novos lares.

Podem tentar fazer com que engulam a exclusividade que eles tanto se vangloriam de ter, porém, de nada adianta se não tiver quem prestigie.

Pra pensar.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *