Parenthood termina mais adulta e completa (s. finale)

Difícil descrever a sensação que senti ao assistir a season finale de Parenthood. Sabe quando você fica feliz pelo resultado e por estar conferindo algo tão bom?

Nesses treze episódios vi o desenrolar dessa história familiar que tem todos aqueles ingredientes necessários para chamar a atenção pelo drama, humor, união e brigas.

Mas o que chama a atenção no fechamento desse primeiro ciclo é o quão adulto os personagens estavam – se vão se manter assim são outros quinhentos.

Tivemos grandes destaques, como Crosby descendo a lenha e ao mesmo tempo aconselhando o pai e, na sequência, conversando com Jasmine e tratando sobre seu desejo de morar com sua… família.

Após a conversa com o filho, Zeek corre para ter uma necessária conversa com Camille – com plateia e tudo – e após colocar na mesa seus sentimentos, canta.

Mas os melhores momentos, no entanto, envolveram outro núcleo. Um barato ver Kristina quase querendo “esganar” Sarah tendo de aturá-la e tentando afastá-la do irmão.

Depois do bafão com os pais de Steve, a hora de enfrentar a realidade: Kristina e Haddie, num ato humano, foram “salvar” Amber. E a cena do acerto entre as primas veio para fechar com a famosa “chave de ouro” uma primeira temporada redonda de uma produção com redatores, diretores e elenco extremamente competentes.

Espero que o segundo ano mantenha esse ritmo cheio de emoções e que Parenthood siga me “fazendo sentir”.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*