Profissão Repórter e as incertezas da TV

Todas as afirmações que fazemos sobre televisão na verdade são suposições, nunca verdades absolutas.

“Cabei de crer” isso após assistir ao Profissão Repórter da última terça, quando a atração atingiu uma de suas piores médias: apenas 12 pontos.

O tema? As regiões mais destruídas pelas chuvas no Nordeste.

Ou seja, desgraça.

E não estamos tão habituados a falar que desgraça é certeza garantida de retorno??

O que aconteceu dessa vez? Qual a diferença?

Diria Zagallo: aí sim fomos novamente surpreendidos.

Dá pra dizer que a atração anterior entregou em baixa? Mais ou menos.

O habitual é a segunda linha de shows registrar 18 pontos e Na Forma da Lei fez 17, ou seja, algo considerado normal.

Não entendi o motivo da queda e não apenas por ser uma tragédia: é mais um retrato da falta de atitude de nossos governantes, um tema que naturalmente chama a atenção. Não é em época de enchentes que Brasil Urgente e SP Record batem recordes?

Se Magda do Sai de Baixo fosse questionada, diria: não tô enteindeindo.

Nem eu.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *