Profissão Repórter me deixou triste

6 de outubro de 2010 0 Por Endrigo Annyston

Ontem eu já estava completamente passado quando terminou o episódio de A Liga. Depois, terminei a noite triste.

Isso ocorreu após tomar conhecimento da história de Martins, ele ficou paraplégico após levar um tiro.

Sabe como isso aconteceu?

Ele avistou uma briga em um bar e, quando foi acionar a polícia para ajudar, levou um tiro.

Realmente de partir o coração assistir suas sessões de fisioterapia ou o sufoco que passa ao tentar entrar dentro de sua própria casa – tem até a ajuda de sua sogra, uma senhora!

Não é injusto?

Foi uma das coisas mais tristes que eu já vi na vida. Você tenta ajudar, acudir uma briga que poderia terminar em uma tragédia e, no final das contas, você é que sai na pior.

Em contrapartida, você vê alguém que deu uma entrevista e em momento algum demonstrou estar infeliz e sim completamente disposto a viver.

E o pessoal da Tribo de Jah? Os deficientes auditivos?

Ah, um diferencial: não foi simplesmente uma pauta para mostrar pessoas que enfrentam alguma limitação e sim a superação, um lado que a gente não costuma ver.

Nota 10 para os profissionais envolvidos e também para os entrevistados, foi uma tremenda lição de vida!