Quando a despedida de um jornalista emociona… e o fim de um telejornal.

26 de setembro de 2011 0 Por Endrigo Annyston

Assisti há pouco a despedida de Renato Machado no Bom Dia Brasil. A voz embargada dele, dizendo tchau… foi difícil.

Não sou telespectador diário do Bom Dia Brasil, não dá. Mas se me perguntarem qual telejornal eu gosto, e gosto muito, é o Bom Dia Brasil. Pelo Renato Machado e pelo tom mais informal, assim como o Jornal Hoje.

A gente fica bem informado e ao mesmo tempo se sente a vontade, não é aquela coisa hard news.

E o que eu quis dizer no título?

O Bom Dia Brasil que conhecemos hoje chegou ao fim, pois esse Bom dia era a cara de Renato, que estava há 15 anos por ali.

Eu tenho 26 e não me recordo do período anterior. Portanto, o Bom Dia, para mim, é o Renato. Sempre foi.

Se o tom do jornal será o mesmo com Chico Pinheiro ou se será mais popular, é indiferente. Amanhã é como se um novo produto estivesse entrando no ar.

Um novo produto com um belo cenário, convenhamos. O novo cenário do Bom Dia Brasil é “a coisa mais linda do mundo”. Um luxo.

E luxo, devo dizer, é Renato como correspondente especial. Em Londres.

Quem conhece Renato Machado além do BDB sabe o quanto isso combina com ele e, por isso, fiquei feliz meses atrás quando soube da mudança. Feliz por ele, Renato é tão, tão… Londres!

Um homem sofisticado, inteligente, apreciador de vinhos, histórias, vida, enfim, alguém como esse jornalista carismático merece um cargo tão especial e tão sua cara.

Vejo sim como uma promoção, um presente.

Nós perdemos com sua saída da bancada, no entanto, ganhamos com o conhecimento que ele vai trazer lá de Londres, ainda para o Bom Dia Brasil e outros produtos da TV Globo.

Que seja um sucesso, uma feliz nova experiência. E obrigado por tudo, bom dia, boa tarde, boa noite!