Record e Rede TV: vergonha da televisão brasileira

18 de março de 2013 25 Por Endrigo Annyston

Record e Rede TV são duas emissoras que caminham juntas. Em dado período, as duas apostaram em qualidade para alavancar a programação.

Nos últimos tempos, no entanto, desgraça e baixaria são os artifícios para tentar salvar a audiência em queda livre.

Tendo perdido o Pânico, seu único programa de destaque, a Rede TV tentou a sorte com o Saturday Night Live. Fracassado, o programa foi limado da grade.

Reviraram o baú e ressurgiram com o João Kléber. Tem Tesde de Fidelidade duas vezes na semana e, em breve, mais uma atração diária. Os números já respondem positivamente.

Do outro lado, a Record. Neste caso, os números ajudam a exemplificar.

Na última quinta feira o canal dedicou o dia ao julgamento de Mizael Bispo. Do inicio da manhã ao final do dia.

O resultado foi dentro do esperado: Fala Brasil fez sete pontos, Balanço Geral oito, Programa da Tarde nove e Cidade Alerta 11.

Em dias normais, quando você viu o Programa da Tarde com audiência tão expressiva, capaz de ultrapassar a Globo?

Pois bem, na sexta, sem julgamento, a audiência foi a seguinte: Fala Brasil seis, Balanço Geral seis, Programa da Tarde cinco e Cidade Alerta sete.

O PdT perdeu metade do que conquistou no dia anterior.

Falando em metade, semana passada o Programa do Gugu registrou míseros cinco pontos. Ontem, festa na Barra Funda, explorando o anão do Balanço Geral, foi a 12, mais que o dobro.

Joguei uma questão no Twitter e ela repercutiu bastante:

Será que eu vou estar vivo pra ver, algum dia, a Record dando audiência sem estar explorando a desgraça alheia? Duvido…

Completei:

Não sou contra a Record ou qualquer outra emissora dando audiência, passando a Globo. Mas é lamentável concluir que é sempre por baixaria.

A conclusão, é óbvia: só quando apelam conseguem resultados expressivos.

Deve ser triste ter um canal de televisão e só gerar notícia a partir de suas limitações.

A Globo, no Brasil, não tem concorrentes. Por mais que esteja em baixa, leva um sustinho aqui, outro acolá. Nenhuma outra emissora do país tem cacife de brigar no mesmo nível.

Curioso observar que, no quesito ambição, tanto a Rede TV quando a Record, apesar dos pesares, se acham  última bolacha do pacote.

Uma, a “rede de TV que mais cresce no Brasil”, enquanto a outra, está “a caminho da liderança”.

Sabe o que eu acho? Andaram lendo aquele livro O Segredo e acreditam, e muito, no inacreditável. A força do pensamento positivo. Vai que cola?

Só lamento.