Record em: Dinheiro não aceita desaforo

De 2004 para cá a Rede Record cresceu a olhos vistos. Mas não cresceu naturalmente, tomou anabolizantes e agora os músculos estão atrofiando. Tanto fez, tanto gastou para disputar audiência com o SBT, o gato morto. O grande problema não foi o investimento, investir é preciso, mas simplesmente investiram errado.

Quando resolveram exibir duas novelas poderiam ter feito uma em São Paulo como já faziam até Cidadão Brasileiro e gravarem uma outra que fosse no Rio, mas em uma produtora independente. Mas não, sou ricaaaaaaaaaaaaaaa e vou gastar.

Comprou os estúdios do Renato Aragão e como se não bastasse gastou uma fortuna lá e o transformou em um mega complexo com nove estúdios, um dos maiores da América latina. Tudo bem, centralizar a teledramaturgia no Rio não foi uma má ideia, mas não precisava exagerar. Com o complexo certamente vieram técnicos, câmeras, atores, dentre outros profissionais. Muitos tirados da concorrência com salários exorbitantes, ou seja, mais gastos. Os gastos das produções da emissora eram próximo aos da Globo, mas a audiência e o faturamento muito longe da líder. Um dia a conta viria, todos, menos a direção da emissora sabiam disso. Com o fracasso de grandes investimentos como Rebelde e Máscaras a fratura começou a doer e agora está exposta para todos vermos.

Infelizmente quem está pagando a conta são as centenas de funcionários demitidos, pais de família que ficarão sem emprego, já os diretores, em sua maioria, continuarão contratados com polpudos salários garantidos. E eles são na verdade os responsáveis junto com o dono pelo que está acontecendo. Faltou à emissora olhar para os lados e ver porque a Manchete faliu e porque o SBT tentou uma vez e nunca mais fez três novelas ao mesmo tempo, faltou observar o por quê da emissora de Silvio Santos nunca ter tido um vasto elenco, optando por contratar os atores por obra, dentre outras coisas.

Por fim faltou bom senso porque dinheiro não aceita desaforo e mais, como disse o crítico James Akel, o grande público não sabe e não se importa se a novela é gravada num grande complexo ou em um pequeno estúdio de fundo de quintal, o importante é gostarem da trama. Termino com uma pergunta que não quer calar: O que vão fazer agora com o Recnov,  já que pretendem continuar produzindo só uma novela? Fico por aqui, abraços e até a próxima.


* Gilmar Moraes



5 comentários em “Record em: Dinheiro não aceita desaforo”

  1. Belo texto Gilmar!
    Daqui uns anos Datena filmará com Hamilton e comentarão que aquilo era um complexo televisivo!
    Demorou mas a conta chegou e a Record tem que pagar ou melhor, pessoas que foram "enganadas".

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *