Record faz jornalismo de espetáculo

A Record é a TV aberta que mais dedica tempo aos programas jornalísticos. Logo cedo, são três jornais em sequência: Balanço Geral, SP no Ar (em São Paulo; e similares em outros estados) e Fala Brasil. Juntos, somam quase quatro horas ininterruptas. Na hora do almoço, o jornal local Balanço Geral também ocupa grande espaço: em São Paulo, entra no ar ao meio-dia e se despede após as 14h30. Mais tarde, o Cidade Alerta também parece interminável: começa às 17h15 e vai atééé 20h30, quando entrega o horário para mais um noticioso: o Jornal da Record.

Infelizmente, neste caso, quantidade não é  qualidade. Os dois maiores jornalísticos, Balanço Geral e Cidade Alerta, para preencher o tempo, transformam qualquer assunto num espetáculo. Confundindo informação com espetacularização, os dois programas se especializaram, cada um à sua maneira, em transformam em show suas principais pautas. Um caminho perigoso, que compromete a credibilidade do jornalismo da emissora como um todo.

O Balanço Geral – SP, por exemplo, até hoje não decidiu se faz jornalismo ou entretenimento. O apresentador Geraldo Luis se posiciona como o dono da verdade, um paladino que vocifera e abusa da demagogia para tratar de assuntos sérios. Mas fica difícil levá-lo a sério quando o homem surge com um galo a tiracolo. O galo William tem um confortável poleiro num canto do cenário, imprimindo alguma surrealidade ao enredo que contorna o Balanço Geral. No cast da atração, há espaço ainda para anões fazerem palhaçada (uma das estrelas é o anão Marquinhos, que hoje tornou-se a galinha dos ovos de ouro do Programa do Gugu), e o próprio apresentador comanda tudo com tom de galhofa. Ou seja, o palco do Balanço Geral é praticamente um picadeiro.

Tudo isso dá margem à informação com irresponsabilidade. No início do ano, o Balanço Geral chegou ao cúmulo do mau gosto ao realizar uma controversa “reconstituição” da tragédia da boate Kiss, do Rio Grande do Sul. Com direito a fumaça cenográfica, Geraldo dançava como se curtisse a balada de final trágico. Péssimo momento para fazer piadas.

Neste momento em que o anão Marquinhos se tornou conhecido nacionalmente, Geraldo Luis tem pegado carona na fama do rapaz e, mais uma vez, ultrapassando alguns limites. Ratinho, do SBT, resolveu brincar com o fato de que “anão dá audiência”, e passou a fazer mistério em seu programa sobre o “segredo do anão”. Tudo em tom de piada, como sempre tocou seu Programa do Ratinho. Pois Geraldo não gostou da brincadeira e atacou Ratinho diretamente. Nesta quinta, 18, no Balanço, disse que Ratinho “está se aproveitando. É um sem pauta, vagabundo”, nas palavras dele. Agressão gratuita e desnecessária. O Programa do Ratinho pode se render a essas bobagens, afinal é assumidamente um circo eletrônico. O Balanço é que devia manter a postura. Fato é que o bom momento de audiência do Balanço Geral faz com que seu apresentador se deslumbre e ache que pode fazer o que bem quiser.

Já o Cidade Alerta ao menos tem um apresentador menos irresponsável. Marcelo Rezende é competente e tem tato mais apurado na condução de seu programa, isso é inegável. Mesmo assim, o Cidade acaba se tornando cansativo, dado o longo tempo de sua duração. Cada história mostrada pelo jornal policial ganha contornos de narrativa, com direito a análises detalhadas do anfitrião Rezende. As análises, quase sempre, são bem fundamentadas, mas arrastam-se além do que deveriam, dando a impressão de que o programa quer “ganhar tempo”. Definitivamente, o programa não tem assunto para comportar suas três horas no ar.
uração. Já o Balanço Geral tem problemas mais graves. O programa até hoje não decidiu se é jornalístico ou entretenimento. Apostar em bizarrices, demagogia e irresponsabilidade é altamente comprometedor. Mas dá audiência, e, para a direção da Record, é o que importa.

Por André San 


Blog: www.tele-visao.zip.net


E-mail: [email protected]


Twitter: @AndreSanBlog

4 thoughts on “Record faz jornalismo de espetáculo

  1. Então vou bater palmas pelo espetáculo:

    clap clap clap

    – o espetáculo do horror, kkkkk.

    Mas clap, clap, clap para você André San.
    Muito bem escrito.

  2. Sem comentários, até o presente momento ???
    A luva serviu, assim creio!
    Assino tudo que aí está! A Record era para ter o melhor jornalismo da TV devido seus investimentos, mas como prefere audiência instantânea, que nada agrega, vemos esse "Circo" que virou o jornalismo da emissora, que até se orgulhava de seu canal 24h de noticiário, ops! Não é bem 24h, rsrsrsrs. Uma vergonha né, emissora Líder desde 2009?

  3. Pelo menos, no Rio de Janeiro, o Balanço Geral RJ com Wagner Montes e o Cidade Alerta RJ com o Rogério Forcolen tem suas pautas bem mais coerentes, mesclando notícias e entretenimento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *