Remake de “Rebelde” pode se tornar o Glee brasileiro

O momento não poderia estar mais propicio para a estreia da versão brasileira de “Rebelde”. Com o sucesso estrondoso do seriado musical “Glee”, a atenção está novamente voltada para atrações com temática musical e destinada ao público jovem. O passado pode ser inspirador para a equipe de produção da Rede Record, abrigando nomes como “Carrossel”, “Chiquititas”, a própria novela Rebelde, a temporada 2004 de “Malhação” embalada pela “Vagabanda”, dentre outros.

Adaptações de fenômenos estrangeiros são normais. O exemplo mais recente pode ser encontrado nos cinemas com o filme brasileiro “High School Musical: O Desafio”, criticado pela ausência de elementos tupiniquins e pelas atuações sofríveis dos protagonistas. Contudo, demonstra como a tendência do musical feito para adolescentes está em voga.

A emissora de Edir Macedo tem feito audições para formar o elenco da novela e parece estar priorizando candidatos hábeis na atuação e na música. Entretanto, isso não será suficiente se cometer os erros da versão mexicana. Talvez pelo fraco trabalho realizado na dublagem, a trama exibida pelo SBT até apresentava tramas razoavelmente interessantes, mas, pecava em diálogos superficiais e, às vezes, totalmente desconexos.

Se o empenho iniciado em “Bela, a Feia” obtiver seqüência, a qualidade do texto for aceitável e as adaptações para a cultura brasileira não serem tão precárias, a trama teen pode conquistar adeptos e ser impulsionada pela imensidão de fãs do extinto RBD.

O modelo apresentado na série Glee pode servir de inspiração, pois, jovens colegiais interpretando clássicos do repertório nacional soa muito mais convincente do que meia dúzias de adolescentes, de repente, revelarem-se hábeis compositores. Por mais que as músicas do conjunto mexicano ainda sejam cultuadas, o péssimo resultado da trilha sonora de “High School Musical: O Desafio” serve como alerta.
          
Diversas formulas de sucesso ou fracasso estão a disposição da equipe da Record, que poderá determinar se o remake de “Rebelde” será algo a mais na televisão brasileira ou apenas mais do mesmo. A receita inicial já se mostrou extremamente eficaz, agora, nos resta aguardar até novembro para vislumbrar um concorrente em potencial para “Ti Ti Ti” ou só mais programinha clichê tentando retratar uma adolescência que só existe em “Malhação”.

* da internauta Cristina Possamai

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *