Retrô: Samba do crioulo doido no #HojeemDia

Há tempos tratamos aqui da crise que envolve o programa Hoje em Dia.
Da atração que se gabava de ter audiência e de ter “inspirado” similares na concorrência, nada restou.
Quer dizer, sobrou Edu e Chris Flores, mas o que dizer do “Picolé de Chuchu” e da “puxadora de saco mor”?
Novos apresentadores chegaram e a atração foi se descaracterizando. Até Celso Zucatelli, um profissional extremamente elogiado, se perdeu no meio do caminho. O dia que ele tentou roubar um entrevistado da Globo é o tipo de coisa que se aprende na “Escola Susana Vieira de Maus Modos”.
Além disso, há alguns meses existia a especulação de que Vildomar Batista, diretor do programa, seria afastado. E foi.
Ele já havia perdido algumas regalias na emissora após boatos de que estaria trocando a Record pelo SBT.
Batista, além de diretor, era uma espécie de “co-apresentador” do matutino, pois interagia frequentemente com os apresentadores.
No Twitter, ele disse: “Não há nada que esteja encoberto que um dia não seja revelado. A máscara vai cair, o telespectador é muito inteligente”.
O que ele quis dizer? A personagem Milu diria “mistéééérios”.
Vildomar ainda tem mais quatro anos de contrato com a Record.

* publicado originalmente em 10 de  fevereiro de 2010



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *