Retrospectiva novelística 2012

Esse foi um ano em que tivemos muitas novelas. Mais sucessos que fracassos. Começarei pela Rede Globo que exibiu novelas como: Fina Estampa, Avenida Brasil e Cheias de Charme, essas foram motivos de alegria para a emissora. Exibiu também Amor, eterno, amor, que não fez tanto sucesso, mas se olharmos os números da sua substituta a Globo deveria ter comemorado e muito os resultados dela.

Agora vem a parte triste para a Globo: Lado a lado, Guerra dos Sexos, Salve Jorge e Malhação. Novelas que tem suas qualidades, mas que não estão agradando ao grande público. As das 6 e das 7 estão marcando em São Paulo os piores índices de audiência já alcançados em seus respectivos horários. Malhação como sempre, não é de agora, há tempos não está bem, mas insistem em exibí-la. A audiência só se fez diminuir ainda mais na temporada que estreou em agosto.

Vale a pena ver de novo que marcou razoáveis índices com Mulheres de Areia e Chocolate com pimenta perdeu considerável audiência com a reprise de Da cor do pecado, que é um novelão, mas que não está segurando as pontas na sua terceira exibição. Um erro de estratégia que está custando caro à emissora. Das tramas no ar a única que esboça uma reação é Salve Jorge que ainda pode virar o jogo.

Na Record Rebelde mudou de horário mais de cinquenta vezes, agonizou e morreu com apenas três pontos de audiência. Máscaras, o grande investimento da emissora, não foi nada bem. Tentou ser diferente e conseguiu, foi tão diferente que os telespectadores não conseguiram entender a novela e a mesma se tornou um dos grandes fracassos da emissora. A novela que duraria quase um ano teve apenas cento e vinte capítulos e foi substituída às pressas por Balacobaco, que se chamaria Passado Próximo, mas alguém achou que Balacobaco chamaria mais atenção. Não aconteceu já que até aqui a novela vem marcando menos audiência que Máscaras.

Se a trama de Lauro César Muniz era considerada séria de mais, na de Gisele Joras erraram a mão e fizeram uma novela colorida demais e que tentou ser engraçada, mas com um humor caricato e exagerado que não convenceu. Mas há um ponto positivo: até hoje, apesar de a audiência não estar como desejam, a novela permanece no mesmo horário.

Por fim: no SBT em janeiro houve a estréia da novela de gaveta de Íris Abravanel: Corações feridos, que surpreendeu até por suas belas imagens e boa história. A trama foi gravada em 2010 e baseada no original mexicano A mentira. A novela teve uma missão importante trazer de volta à teledramaturgia ao horário das oito e meia da noite na emissora. Carrossel é que estrearia em Janeiro, mas sabiamente o canal optou por Corações Feridos para esquentar o horário. E deu certo já que se não foi um estrondo, pelo menos depois de uns dois meses começou a ficar próxima da vice e acabou entregando bem para Carrossel, que é hoje um fenômeno de audiência do SBT e inclusive ajudou a emissora a brigar pela vice-liderança novamente.

Carrossel atingiu um público que não tinha opções de novelas no horário nobre: as crianças. Atingiu também os adultos que gostam de acompanhar histórias mais simples. O SBT se saiu bem também com as reprises de novelas à tarde. A audiência não é alta, gira entre 4 e 6 pontos, algumas conseguem mais às vezes, mas essa audiência é suficiente para manter a emissora na vice-liderança no horário, sem grandes investimentos. Fico por aqui, um abraço, até a próxima e um feliz  2013 repleto de paz, amor, saúde e de ótimas novelas para todos.

* Gilmar JM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *