Retrospectiva: revendo 2010, nosso futuro “ano passado”

* por Emanuelle Najjar 

É, galera. O ano está acabando, trocentos textos foram escritos nesse espaço e agora coube a nós essa semana escrever o que mais marcou nesse 2010. Uma retrospectiva, pois o Endrigo mencionou que esse será o último Ponto de Vista do ano. Ele crê que os colunistas merecem férias antes de ouvirem novamente suas ameaças de morte a là Flora Pereira da Silva, nossa diva.

Foi decidido que a forma de fazer essa retrospectiva seria de acordo com escolha própria do autor do texto e sendo esse é um ponto bem particular, devo alertar sobre a dificuldade da tarefa. Em um ano em que Sílvio Santos teve problemas financeiros, e Hebe Camargo deixou a emissora onde trabalhou por 25 anos, dizer que, para mim, os assuntos mais marcantes em minha opinião foram ligados às telenovelas, soa realmente estranho.

Melhor que eu me explique, afinal foi uma decisão difícil. Afinal no SBT foi um período de situações tão inusitadas que poderiam ser facilmente encaradas como um prenúncio do fim do mundo tão anunciado para 2012. Porém, boa parte da coluna foi gasta pra falar sobre nossa teledramaturgia, então creio ser digno usar mais um pouco desse espaço para falar do assunto.

Não foi um ano muito bom para a telenovela, seja para produtores ou para o público. Foi o ano de pelo menos dois fiascos. Afinal, depois de tudo como deveríamos chamar Tempos Modernos e Passione? A primeira foi exemplo de tudo aquilo que se falam sobre as providências tomadas para recuperar a audiência de uma trama: mudanças bruscas no enredo e nos personagens, fugindo completamente da história original. Já a segunda parece estar em uma situação ainda pior, por estar no horário nobre, por ter enredo e elenco que prometessem mais que uma festa estranha com gente esquisita.

Passione começou com altas expectativas e muitas promessas. E, como provavelmente tudo que começa dessa forma, passou por situações difíceis. O problema é que essa situação difícil se estendeu e – sabe como é – público de novela não é nada paciente e parte pra ignorância mesmo dizendo coisas desde “tá uma merda” até “esse autor está senil, é hora de vestir o pijama”. Particularmente sou capaz de preferir sua antecessora Viver a Vida e seu marasmo porque, sinceramente me decepcionei com o que vi e com o que ainda vejo hora ou outra, quando ainda me arrisco a assistir.

Talvez as telenovelas sim mereçam o destaque que estou dando. Em 2010 a decepção foi tanta que eu acabei por abandoná-las quase completamente. Aliás, a TV em geral, mas a teledramaturgia geralmente é o principal chamariz das emissoras. Talvez eu apenas esteja seguindo a tendência, afinal a internet está aí, cada dia mais acessível. De uma forma ou de outra, não foi um bom ano para ela. Agora definitivamente pode ser a hora de reinventar a roda, apenas não pergunte como fazer.

PS: Boas festas pra você que nos aturou nesse 2010! Você merece!

_________________________________________________ 
* Perfil: Emanuelle Najjar – Jornalista, formada pela FATEA em 2008, pesquisadora da área de telenovelas. Editora do Limão em Limonada (limaoemlimonada.com.br)



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *