#Ronaldo, a despedida e o tô nem aí pra você

Topei esse tema para a coluna Ponto de Vista por acreditar em democracia e por julgar que cada um tem o direito a ter sua opinião – e ela pode e deve ser diferente das dos demais, significa que pensamos. Quer dizer, não necessariamente deve ser diferente, mas se for, bem, pra isso existe o respeito.

Sei que toda a trajetória de Ronaldo no futebol e agora sua despedida mexeram com a cabeça de muita gente e…

Mas eu tô nem aí pro futebol, sabe? Acho ótimo como atividade esportiva, mas as questões duvidosas nos bastidores ($$$), esse lenga lenga sobre quem vai ou não transmitir as partidas ou o fato de os jogadores ganharem milhões só pra chutar uma bola…

Gente, os policias arriscam a vida por muito, muito menos, sendo que eles sim deveriam receber salários absurdos tendo em vista a importância da corporação para a vida em sociedade.

O que ficar berrando pra alguém marcar um gol muda minha vida?

E eu vou ficar chorando porque o Ronaldinho se aposentou? Vou nada!

Olho para ele e penso numa pessoa que tem problemas com a balança, com mulheres – e travestis – e uma vida completamente conturbada.

Não, não tenho nada contra ele, mas também não admiro.

Assim como olho para o Pelé e vejo uma pessoa que não foi no enterro da própria filha.

Ou seja, também não posso admirar fora dos campos.

Mas é questão de gosto… prefiro vibrar com uma grande novela, e aí?

Cada um na sua, mas sempre com alguma coisa em comum.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *