Roteiristas de The Walking Dead querem matar fãs do coração (3X08)

4 de dezembro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Explico, e são dois os motivos.

Em primeiro lugar, esse episódio que dá um stop na temporada. Sequências alucinantes não deixaram o telespectador sequer piscar. Aconteceu o famoso “tudo ao mesmo tempo agora”.

De um lado Ricky e seus parceiros tentando salvar Glenn e Maggie. E precisavam, mesmo. A moça quase foi estuprada, Glenn está todo arrebentado e, numa tentativa de fuga, quase perderam a vida. De novo.

Do outro, novos personagens, também fugindo dos errantes. Salvos por um Carl cada vez mais arisco e cheio de atitude, como se realmente fosse um rapaz de 17 anos. Imagem e semelhança de Ricky.

E Glenn e Maggie são salvos. Mesmo contra a negativa de todos, Daryl quer se encontrar com Merle, talvez visando recuperá-lo. Enquanto isso, cadê Michonne?

Foi “salvar” Penny. Se a fuga do “pessoal da prisâo” foi eletrizante, não consigo encontrar um adjetivo ainda melhor para a sequência entre Michonne e o Governador. A filha errante assassinada, uma disputa no braço entre dois líderes. Aquário de cabeças errantes destruído. Olho ferido.

Michonne é salva por Andrea. A mesma Andrea que se depara com Daryl vivo, no que parece ser o fim de Merle. Ele não tinha matado Michonne? Não, e o Governador, que já estava furioso, agora se sentia traído.

De que lado Andrea irá ficar? O que acontecerá com Daryl e Merle? Como Ricky lidará com os novos hóspedes? Mais importante de tudo: como será o embate entre a turma de Ricky e a do Governador? Sabemos quem tem aliados. E aí?

Ah, faltou o segundo motivo. Depois de tudo isso, sacanagem ter que esperar até fevereiro, não?

Repito o que já disse: The Walking Dead, a continuar desse jeito, tem tudo pra ser a melhor série de todos os tempos, caso consideremos roteiro, elenco, direção e, especialmente, efeitos especiais.