SBT inova com infantis + emissora busca sofisticação

13 de agosto de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Uma época em que aparentemente o SBT tinha estratégias de programação.

De acordo com a biografia de Silvio Santos, o canal inovou ao apostar em infantis no período das manhãs quando as outras emissoras focavam nas mulheres.

A febre Bozo durou sete anos e o programa chegou a ficar no ar por oito horas diariamente.

Tanto que a imprensa apelidou o SBT de Sistema Bozo de Televisão.

Em meados da década de oitenta encontraram um problema: estavam dando audiência mas não iam bem comercialmente porque eram tidos como popularescos.

Programas como O Povo na TV jogavam contra o canal, apesar dos altos índices.

Aos poucos foram limados, abrindo espaço para a chegada de Jô Onze Meia, TJ Brasil e as novelas.

Fiquei abismado com o tanto de telenovelas próprias do SBT na década de 80, ano em que começaram. Exibiam nacionais e mexicanas.

A primeira mexicana foi Os Ricos Também Choram. Insistiram no formato por ser mais barato que produzir por aqui.

Silvio Santos dá início a suas propagandas malucas: anuncia Pássaros Feridos para “depois da novela da Globo” e assusta a poderosa, abocanhando a liderança com vantagem.

Nem tudo era uma maravilha, bom dizer.

Tinham contratado Sérgio Chapelin mas ele pediu pra sair, afinal, a Globo não veiculava comerciais com contratados de outras emissoras. Silvio até declarou que iria conversar com Roberto Marinho para tentar mudar isso.

Outro problema: Silvio Santos estava perdendo a voz, descobriu um câncer.

Gugu deu sua primeira apunhalada: o “substituto direto” do patrão se transferiu para a Globo.

Com problemas de saúde, Silvio procurou Gugu e depois Roberto Marinho, para desfazer o negócio.

Até valeu a pena, já que durante cerca de dois anos Gugu foi uma pedra no sapato na vida de Faustão.

Logo a Globo retomou a posição, Gugu perdeu audiência e prestígio com o caso PCC e o resto da história todos conhecemos.


* Informações do livro A Fantástica História de Silvio Santos