Sessão de Terapia: 7ª Semana (1×31 – 1×35)

Júlia Rebelo (1×31)

Como quem não quer nada eis que Júlia me leva um bolo para Théo e tenta puxar uma amizade, e o terapeuta acaba caindo naquela conversa por nutrir sentimentos por ela. Mas os primeiros momentos entre os dois é massante e arrastado.

Ela fala sobre a mãe, e isso passa um desejo de ser dona de casa, cuidar do marido, mas não achou a pessoa certa e o terapeuta fica dando trela a moça, aceitando até mesmo uma inversão de papéis, onde Júlia questiona mais e até senta-se na cadeira de Théo.

Gostei mesmo do episódio quando tudo ficou mais descontraído. Tivemos o flashback da primeira sessão de Júlia, as primeiras palavras dela sobre André, o que ela esperava de Théo, e então o cochilo.

Gente, eu não esperava. Théo me dorme no meio da sessão de Júlia, e a partir daí as coisas simplesmente fluem de forma mais gostosa. Ambos riem da situação, Júlia fala como esperava que seu terapeuta fosse um Richard Gere, mas no fim encontrou o Soneca (“Branca de Neve e os Sete Anões”).

É nesse momento de descontração que percebemos que Théo ganhou mais vida após cruzar o caminho de Júlia, e os sentimentos parecem ter se cruzado naquele dia. Maria Fernanda Cândido estava bem, Zécarlos Machado domina seu personagem, e a edição ficou interessante na transição para o flashback.

A trilha desse episódio em um certo momento era para ser saudosista, mas estava tão forte que me afastou do que a personagem contava, e isso é ruim, principalmente por eu não ter uma ligação com Júlia.

Breno Dantas (1×32)

Para a nossa surpresa o foco deste episódio, que deveria ser de Breno, simplesmente foi apagado e o que tivemos? Mais uma invasão na intimidade de Théo e assim acabamos conhecendo como acontece seu elo com sua filha, Malu.

Malu é desligada quando está com seu celular em mãos, mas sabe muito bem o que quer, e como conseguir. Assim, foi forte ver seus momentos com o pai, como ele praticamente se torna um menino querendo sua atenção.

Uma coisa que senti, é que ele não dá a devida atenção a garota, e isso ocorreu abruptamente, pois ela busca desesperadamente um contato com o pai, e quando os dois conseguem se reconectar, as coisas ficam um pouco mais leves, e até o fato de Clarice ter um amante acaba ficando de lado ao vermos os dois gritando um para o outro da janela.

Espero um retorno de Malu e um aprofundamento nessa relação dos dois, pois ela parece reviver um lado perdido do personagem, que o deixa mais vivo e muito mais família. Malu pode ser o elo que ele precisa para seu casamento, e principalmente para Clarice.

Breno aqui apareceu por poucos momentos, contou sobre sua decisão em voltar a tropa e como conseguiu o aval de seu superior. Agora é ver as consequências disso, já que ele ficará um bom tempo sem dar as caras na terapia, deixando os acontecimentos na semana que vem uma verdadeira incógnita, mas foi bom ver o personagem bem mais a vontade e com um sorriso tenro no rosto.

Nina Vidal (1×33)

A grande novidade de Nina é que ela pretende viajar para encontrar o tão falado pai. Durante a sessão ela conta um sonho onde ele corre grande perigo.

Durante a análise Théo acredita que a garota conhece um segredo do pai e nunca contou a mãe.

É aí que a coisa fica intensa, pois Nina entra detalhes das negligências que sofreu, do desfile de mulheres nuas pela casa e até pelo disparate dele transar com elas na cama do casal.

Toda essa revolta acaba recaindo sobre a mãe, que nunca enxergou isso.

Bianca Müller continua com um ótimo tempo, dosando muito bem as características de sua personagem, hora totalmente carente, hora explosiva e independente.

Ana e João (1×34)

A distância entre Ana e João fica cada vez mais evidentes, pois mesmo sentando-se de frente para Théo, o espaço entre eles é cada vez maior, mostrando a falta de contato, de cumplicidade do casal.

Ali João continua vivendo na ilusão de que está tudo bem, que a vida entre eles está bem, mas tudo o que ele faz é em vão, Ana não gosta ou simplesmente deixa tudo em vão.

Durante um choro dolorido Ana explica que João mudou, que não gosta deste novo João e que desde que isso aconteceu se sente perdida, e acaba contando que o traiu.

Quando ela tenta tocá-lo, sentindo-se aliviada por não ter que mentir, João sem querer lhe dá um tapa no rosto.

No momento de verdade de Ana ela conta detalhes da morte de seu pai, atropelado ao levá-la para tomar sorvete, e Théo só compreende que desde então ela se sente culpada e arruma uma maneira de se punir pelo ocorrido.

Dora Aguiar (1×35)

E na terapia de Théo e Clarice a maior descoberta é o quanto a esposa se sente solitária, mas nenhum dos dois ouve o que o outro tem a dizer, sempre com um pé atrás, sempre com um ar estranho entre eles.

Só quando o assunto são os filhos é que ambos quase entram em um consenso e Dora percebe isso. Malu é sempre o foco do assunto, só que o medo é o entendimento de que os filhos sabem parcialmente o que acontece com o casal.

No fundo Dora entende que há a necessidade da separação, mas o pior é que nenhum dos dois estão preparados para isso.

Episódio mais marcante por mostrar a reação de Théo a um acontecimento que muda completamente sua vida, afinal, não é fácil perder um paciente: Breno se matou.

* Danilo Artimos, editor do Episódios Comentados.



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *