#Shameless é tipo uma coisa doida, mas uma coisa boa

26 de janeiro de 2011 0 Por Endrigo Annyston

O internauta Gabriel Gabo tanto falou dessa série que acabei assistindo o piloto.

Logo de início pensei: mais uma série bocó sobre jovens.

Olhei o relógio e, nossa, eu ia ter que aturar uma hora de bocós. E são vários, porque é uma família g-r-a-n-d-e.

Acontece que depois daquela baladinha, da briga com o segurança e daquele sexo super caliente, a coisa começou a pegar um ritmo bem interessante, especialmente com a chegada do pai esquisito que atrapalhou a trepa e ficou jogado no chão.

Daí veio aquele clima de sedução, esnobação… a menina doida que faz um boquete embaixo da mesa com a mãe na cozinha, o irmão gay que também ganha uma chupadinha, o pai fazendo barraco… a conversa amigável sobre levantar o rabo entre irmãos e tal…

O romance realmente acontecendo depois…

Gostei!

Acho que tem o ritmo que essa nova geração pede, afinal, tudo acontece ao mesmo tempo e isso é muito importante para manter a atenção.

Será que pega?