Sucesso: Twitter pode pode gerar lucros para TV´s

8 de abril de 2013 0 Por Endrigo Annyston

Longa matéria de Cristina Padiglione trata sobre o site TV Square, dedicado a opiniões e curiosidades de telespectadores na web.

O site analisa os dados gerados pelas redes sociais. A Usurpadora, por exemplo, foi o segundo folhetim mais mencionado no mês de março.

Na última sexta a Band foi a mais comentada no Twitter, somando 13%, estando inclusive a frente da Record que somou 8% das “twittadas”.

O último CQC gerou 36,71% das postagens da faixa horária, percentual quatro vezes maior do que a TV pode produzir.

Uma realidade que faz com que o internauta possa assistir e comentar uma produção e, instantaneamente, no caso de Salve Jorge, obter “explicações” da própria autora sobre suas viajadas na maionese.

Ainda de acordo com o artigo, falar de TV representa 40% do que é dito no Twitter.

Pesquisa Nielsen revela que 43% dos que navegam assistem TV ao mesmo tempo. Outros 80% dizem trocar de canal por influência do que é dito na rede social.

Essa nova percepção poderá agregar valores virtuais à tabela comercial das emissoras.

“Alguns (internautas) são muito influentes, têm um potencial maior de interferir no que os seus seguidores estão vendo”, conta André Terra, diretor de marketing da empresa, que passou seis meses mergulhado em tecnologia em pleno Vale do Silício, nos Estados Unidos.

Em resumo, a internet

ganhou status de agregadora à audiência ao ser tratada como segunda tela (second screen) e tem inspirado a criação de aplicativos de toda espécie para a TV. “Por isso é chamada de segunda tela: porque você liga a segunda sem desligar a primeira”, resume Mariana Eva, da TV Square.