Surra em “Água Viva” mostra que, com tão pouco, era possível fazer muito

Surra em “Água Viva” mostra que, com tão pouco, era possível fazer muito

22 de outubro de 2013 4 Por Endrigo Annyston

Foi ao ar hoje a cena em que Lígia senta a mão em Selma, na novela Água Viva. O motivo? A amiga está namorando com seu ex.

Hoje, nas aguardadas surras, as atrizes surgem em diversos planos, com muitas câmeras a disposição. isso possibilita que a sequência seja gravada várias vezes, unindo, depois, através de edição, os principais momentos.

Na novela, da década de 80, foi tudo feito de uma tacada só, com uma câmera. E com show de Betty Faria.

O ângulo da cena mudou apenas quando Lígia estava por cima, expediente comum em briga de mulheres nos folhetins. E Betty seguiu segurando a onda, quando a personagem de Tamata Taxman surgia apenas como figurante, lhe fazendo escada.

É um exemplo para as produções atuais, quando os novelistas e diretores querem inventar tanto e, no final das contas, o resultado é bizarro.

Ponto para Água Viva.

* não consegui imagens melhores