Tapas & Beijos: Não é que milagres existem?

Tapas & Beijos estreou como uma grata surpresa nas noites de terça e se manteve excelente até a chegada de Fabio Assunção à produção. Não que Jorge seja ruim, mas o formato já estava se desgastando quando ele chegou.

O formato “casal de bem” seguido de “casal brigando” já estava cansativo. Toda semana é assim. Mas ainda tem audiência, sempre figura entre as principais audiências da casa.

Na temporada atual tentei o primeiro episódio, exibido em abril. Não vi graça.

Me animei com um em que teria a participação de Paulo Betti e se passaria num motel. Igualmente sem sal.

Novamente uma chamada causou interesse: Fátima teria que cuidar dos filhos de Armane pois a esposa do cara sumiu. Pensei: vou dar mais uma chance.

Dessa vez não me arrependi. O episódio estava realmente muito bom e divertido.

Armane sendo explodido, “atendendo” ao pedido feito por Fátima e ela esquecendo, sequestrando e depois deixando os pequenos sendo cuidados por uma Sueli bêbada, garantiram um episódio realmente imperdível.

E quando esqueceram os meninos no ônibus? Hilário!

Pena que não é sempre assim.

Valeu essa escada para o final de Louco Por Elas, essa sim sempre boa e com um dos textos mais inteligentes da TV brasileira. Pena que tudo o que é bom dura pouco.

Dona Violeta e cia farão falta na telinha.

2 thoughts on “Tapas & Beijos: Não é que milagres existem?

  1. Pensei a mesma coisa qndo terminou o episódio.Realmente o programa perdeu a graça,mas com esse consegui rir.Foi bem interessante.Gostei.Pra mim a melhor no momento é Pé na Cova.Pena estar terminando,sorte q a segunda temporada ja estar garantida.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *