Televisando: Ídolos Kids se mostra mais interessante que Ídolos

Afonso Nigro, João Gordo e Kelly Key na bancada de Ídolos Kids 

O SBT parece que aprendeu que a propaganda é  a alma do negócio. Veio anunciando há algum tempo a exibição do filme Uma Prova de Amor no Cine Espetacular, para barrar a estreia de Ídolos na Record. As chamadas eram caprichadas e bem produzidas, a escolha pela produção ajuda também, é um ótimo drama e que quando foi ao ar pela primeira vez no canal garantiu minutos de liderança. Agora na segunda exibição garantiu a vice-liderança e barrou o reality da Record.

Candidatos chatos, apresentador meio perdido (Marcos Mion assumindo o espaço deixando por Rodrigo Faro, que se dedica agora a outro reality, A Fazenda com anônimos) e muitas piadas sem graça. Assim se resumiu a estreia de Ídolos, programa que no Brasil realmente não funciona para revelar artistas notórios, que no fundo só frustra tanto pra quem participa, quanto para quem assiste. Anunciar que é a edição com o maior número de inscritos não é atrativo, se levarmos em consideração que foi anunciado um prêmio de meio milhão de reais ao vencedor, então já é justificável. A grande surpresa mesmo está em torno dos jurados. Marco Camargo como sempre afiado, e Fafá de Belém e Supla se mostram envolvidos, levam a sério o que se propuseram. A produção está começando, então daqui pra frente é esperar que melhore, mas como sempre a fase inicial é a que o grande público acompanha pra rir dos participantes bizarros, agora é aguardar para que não amargure o terceiro lugar na audiência, como aconteceu na estreia.

Já a produção “derivada”, Ídolos Kids, se mostrou uma grande surpresa. Podendo ser uma reação ao ver o grande sucesso de Carrossel com as crianças e a família que acompanha, o reality mostra uma apresentação correta e bem feita por Cássio Reis, crianças engraçadas e realmente com qualidade vocal, além de jurados que quase não tem coragem de dizer não as crianças, o programa é leve e por vezes emocionante com os pais que acabam embarcando no sonho dos filhos. Afonso Nigro, João Gordo e Kelly Key se saem muito bem no júri, quase que se derretendo pelas crianças. Não deve ser levado tão a sério como Ídolos, talvez por isso seja mais agradável de acompanhar.

* Guilherme Rodrigues, estudante de jornalismo da UNITAU



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *