Teoria da conspiração envolvendo Insensato Coração e seus autores

Início do segundo semestre de 2010, escalação a todo vapor para a nova novela de Gilberto Braga e Ricardo Linhares, parceria antes realizada na novela Paraíso Tropical de 2007.

Título provisório: Lado a Lado, depois alterado para o definitivo: Insensato Coração. O definitivo na minha opinião caberia a qualquer novela, até a Morde&Assopra seria melhor ter se chamado Insensato Coração que o próprio M&A. Pois bem decidiram por “insensato”, sendo que Lado a Lado é mais a cara de uma novela brasileira das 8, ainda mais se tratando de uma trama de Gilberto Braga.

Passada a aceitação do título vieram dois grandes problemas entre meados e Novembro e inicio de Dezembro, quando as gravações já tinha iniciado, a atriz que seria protagonista, no caso Ana Paula Arósio, misteriosamente desistiu da novela, logo substituída por Paola Oliveira. Após esse baque, o antagonista principal, Fábio Assunção, após várias cenas gravadas ele falta a gravações e logo depois decide afastar-se de vez da novela. Então é chamado o recém chegado da Record Gabriel Braga Nunes pra assumir o vilão. E o problema na época era a corrida para tirar o atraso nas gravações.

A essa altura o canal a cabo Viva tinha começado a reprise de um clássico da telenovela brasileira: Vale Tudo. O que causou grande alvoroço, pela qualidade da história, atores esquecidos e a diferença e igualdade de duas épocas a da novela e a dos dias atuais: 1988 – 2010. E as comparações iam desde o fim da inflação, passando pela corrupção e chegando até as comparações com as próprias novelas, autores e atores.

Talvez por essa empolgação com uma grande história de 1988, com coautoria e sucesso atribuído ao Gilberto Braga, a próxima novela das “8” causou grande expectativa.

Eu pessoalmente não me empolguei, tanto pelo que li sobre como iria ser a novela, os autores diziam que iria tratar sobre as relações familiares grande novidade como se todas as outras novelas não abordassem o mesmo tema. Fora que eu até gostei de Paraíso Tropical, mas também não foi aquela Coca-Cola toda e as anteriores de Gilberto não me empolgara, Celebridade foi um apanhado de situações de novelas anteriores do autor, mostradas de outro prisma, além de que essa novela pra eu ter sido muito engessada, bem espelhada na interpretação de Malu Mader. Força de Um Desejo foi muito bonita, teve uma boa história, mas foi lenta, pra mim em muitas ocasiões chata mesmo. Labirinto, Pátria Minha e O Dono do Mundo, não sei se pela idade que eu tinha na época de exibição nenhuma me chamou atenção, salvo a problemática Pátria Minha que cheguei a gostar. Então essa imagem de grande GILBERTO BRAGA nunca colou pra mim. Afinal Vale Tudo não teve só a autoria dele.

E chega o dia da estreia de Insensato Coração, primeiro capítulo: atores ainda viajando em seus personagens na discursão em família que poderia ter rendido bem mais, mas só aconteceu pra causar no inicio da novela, quem acompanhou o desenrolar da situação viu que aquilo não levou nenhum personagem a lugar nenhum, pois todos, apesar dos desaforos ditos, continuaram a se falar.

Passado o tempo víamos uma Darlene versão 2011. E histórias sem graça permeadas por uma espécie de “Cine Band Prive”, até o Tarcísio Meira entrou na dança do “Sexo sem compromisso” assim como Nívea Maria.

Com o tempo Deborah Seco conseguiu dar a volta por cima e se distanciar um pouco da Darlene e se aproximar da Natalie Lamour, assim como acabaram fazendo a diferença Glória Pires como Norma, Gabriel Braga Nunes como Léo e Ana Lúcia Torre que no início parecia interpretar uma personagem típica do Walcyr Carrasco, conseguiu fazer Tia Neném uma grande personagem digna das melhores tiradas da novela.

Enfim, voltando à questão do título acho que nem Lado a Lado seria bom pra essa novela, aliás, nem sei por que foi cogitado, nada tem ver com esse nome.

A novela se salva por pouquíssimos personagens e histórias que lhe rendem um ibope justo: 30%, porque os outros 70% da novela não valem a pena.

Vamos à teoria da conspiração:

Na minha opinião eu diria que Gilberto no máximo é um supervisor de luxo para o Ricardo Linhares, acho muito estranha essa parceria, seria somente para lançar Ricardo como um novelista das 8? Assim como Celebridade poderia ser atribuída a Leonor Basséres, ela tinha tanta importância na autoria da trama que quando veio a falecer foi substituída por Ricardo Linhares, será que se tivesse acontecido com algum outro colaborador teria acontecido uma substituição?

Indo mais além: Força de Um Desejo, não foi de autoria única, foi Gilberto com Alcides Nogueira, ou seria uma novela de Alcides Nogueira supervisionada por Gilberto?

Se essa teoria for verdadeira a última novela de Gilberto foi Pátria Minha, essa sim com a verdadeira cara dele. E seu último trabalho solo seria a minissérie Labirinto de 1998.

Um dos motivos para minha desconfiança descabida foi uma declaração do diretor geral de Insensato Coração, Dennis Carvalho, que a época do lançamento da novela disse que quando leu os primeiros capítulos pensou: “isso aqui é Gilberto Braga”, não me recordo exatamente do que ele disse, mas foi algo assim querendo dizer que o texto era Gilberto Braga e não Ricardo Linhares, por qual motivo falar isso de uma novela atribuída a dois autores? Para chamar atenção do público para uma novela de um autor renomado e caso faça sucesso ele ser atribuído ao Ricardo Linhares?


* do internauta Ricardo Ferrarez



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *