The Big C: Que série incrível, que atriz espetacular! – Quality or Death S04E03

The Big C: Que série incrível, que atriz espetacular! – Quality or Death S04E03

17 de maio de 2013 4 Por Endrigo Annyston

O episódio começa nos dando a sensação de que está todo mundo reunido para um passeio, embora só Cathy aparente entusiasmo.

E que tipo de passeio deixaria todo mundo emburrado? Pois é, aquele onde você leva uma pessoa que ama para morar num asilo.

E aí quando nos emocionamos com Adam e cia, somos interrompidos por Cathy completamente pirada guiando o carro. E tirando onda do policial com auxílio de Sean.

Nos emocionamos de novo com Cathy colocando o enfermeiro em seu lugar, acarinhando seus colegas de quarto. E tendo um belo diálogo com Nan, sua parceira, inclusive em caso de morte.

Parceira essa que, no meio da noite, acredita que Cathy está cheirando a chucrute e decide matá-la asfixiada. A gente ri com a perseguição, mas não é que Nan morre na sequência, com o pobre gatinho ali ao seu lado?

Voltamos a sorrir, agora com a visita de Dr Sherman. Bom homem! Só que descobrimos, com Cathy, que ele morreu há uma semana. Tive que parar um pouco o episódio para respirar.

Por mais que durante todo esse tempo Cathy tenha se preparado para sua morte, tendo tentado ajeitar sua família, inclusive agora, se hospedando em um asilo, ela esqueceu de se preparar também.

Diz coisas bonitas, se mostra madura, capaz e, no final das contas, diz que não quer morrer e se assusta quando uma velhinha tenta matá-la. Repete a todo instante que vai morrer, que o tempo tá passando, mas logo afirma querer parar o relógio. E ele não para, por mais gracioso que seja.

E o tempo não para pra ninguém. Paul se deprimiu com a “partida” da esposa, Adam resolveu finalmente agir como adulto e cobrou o mesmo do pai, que apanhou pra acordar. Amber sambou. Sean foi elogiado por sua força.

Força? Pô, o cara raptou Morthany para que ela não se aproximasse da cama de Cathy, por medo, e só assinou o tal documento aceitando o transplante porque o sobrinho se mostrou orgulhoso.

Enquanto assisto, um filme da minha própria vida vai sendo exibido mentalmente. Penso muito enquanto vejo The Big C, é como fazer uma análise. Os questionamentos de Cathy se tornam nossos, porque, bem sabemos, podemos ter o mesmo destino. Dela ou de outros do asilo.

Bom, depois do pause, a continuação. Após a saída de Cathy e o início do desfile, imaginei que ela iria surgir na passarela, com o vestido de Andrea.

Mais uma pausa. Se Laura Linney não ganhar todos os prêmios do ano, é muita sacanagem. Essa cena do desfile era tipo perfeita para o final da série, com todos aplaudindo… a recuperação da heroína da história. Devaneios.

Cathy estava sendo aplaudida pelo exemplo que é, guerreira que lutou bravamente pela vida, sem entregar o jogo, afinal, disse claramente: não quer morrer.

Só que, ao que parece, é esse o destino. Morthany já se posicionou em sua cama no asilo.

Morthany fechou o episódio mais emocionante desta curta temporada. Estou até com medo do series finale.

Vai ser a despedida de uma das produções mais incríveis da TV mundial.

The Big C não fala de morte, fala de vida. De aproveitar cada segundo, de lutar, não desistir. Sobreviver.

E sobreviver mesmo após a partida. Marlene e Dr Sherman são alguns exemplos.

Aliás, imaginei um final assim. Com Cathy conversando com a gente, ou alguém da série, após sua própria passagem. Esse sim seria um final lindo.

De qualquer forma, estou com medo. Chegou a hora!

::
Caso você também tenha ficado em dúvida, não é Maggie Smith interpretando Nan. Trata-se de Dana Ivey, elas são bem parecidas, fisicamente e no espetáculo da atuação.