Tramas originais, remakes e reprises expõem crise das telenovelas

12 de junho de 2010 0 Por Endrigo Annyston
Por Wander Veroni* 
Algo de estranho está  acontecendo na TV. Ou melhor, também no telespectador. Ninguém quer mais inovar. Todos querem resultados imediatos. Para que esperar? Se não está agradando, basta mudar de canal, ir para internet ou para a TV Paga. Opção não falta. Por isso o medo de errar de quem produz é tão desesperado. É melhor investir no que já fez sucesso. Caminho mais certo. Prova disso é que algumas das principais emissoras do país estão apostando em remakes e reprises como uma forma de conquistar novamente o público que está disperso e migrou para outras mídias, como a internet, DVD e vídeo-game.
Até a TV Globo se rendeu a essa proposta. Em breve, os noveleiros de plantão vão conferir o remake de Ti-Ti-Ti, famosa trama dos anos 1980, de Cassiano Gabus Mendes, na faixa das 19h. Já no SBT, Silvio Santos tirou do limbo a novela “A História de Ana Raio e Zé Trovão”, que foi exibida na década de 1990, na TV Manchete. A imagem é de péssima qualidade, mas a trama tem história e tem conseguido bons números na audiência. E, como não poderia ser diferente, a Record também apostou no velho – ou nem tão velho assim, com a reprise de “Os Mutantes – Caminhos do Coração” para esquentar o horário do início da noite para a próxima produção da emissora do Bispo que será o remake da telenovela “Rebeldes”, da Televisa, que já foi exibida originalmente pelo SBT há menos de cinco anos atrás.
Por isso que acredito que algo estranho está acontecendo nas TVs. Todos estão com medo de errar. Talvez, seja a vontade de acertar falando mais alto. Resgatar antigos sucessos pode ser mais fácil. Contudo, isso mostra que, do outro lado da linha, há também uma crise de originalidade nos roteiristas atuais que não conseguem emplacar novos sucessos. Onde foi parar a criatividade?
Um exemplo disso é  o próprio Tiago Santiago que mudou da Record para o SBT. Ao trazer o remake de “Uma Rosa com Amor” na emissora de Silvio Santos, Santiago teve que apostar novamente na violência para fazer a trama subir alguns pontinhos na audiência, em torno dos seis pontos, quando muito. Já a reprise de “Os Mutantes”, que ele mesmo escreveu na Record, consegue nove pontos com tranqüilidade. Claro, são horários e públicos diferentes. Mas, em todo caso, até o público está cansado de experimentar, passar raivas com mudanças, seja no rumo da história ou no horário de exibição. Todos estão desesperados!
________________________________________
*Autor: Wander Veroni, 25 anos, é jornalista pós-graduado em Rádio e TV, ambas formações pelo Uni-BH. É autor do blog Café com Notícias (http://cafecomnoticias.blogspot.com). Twitter: @wanderveroni / @cafecnoticias.