Troféu Vilson Malacrida: Os melhores de 2012 (parte 1)

Mudanças em nosso tradicional “melhores do ano”. Em 2012 deixa de ser “Cena Awards”, por um motivo especial: a partir de agora a premiação do Cena Aberta presta homenagem a um cara que amava o veículo televisão, assim como muitos que passam por aqui, e que trabalhava num canal de TV. Por um ano, fez parte da equipe de redatores do portal R7 e pôde, assim, conviver com seus ídolos. Mesmo que por pouco tempo.

Vilson partiu em agosto, dando um susto em todo mundo que pensava ser mais uma de suas brincadeiras, espirituoso que era. Mas foi uma triste verdade, esse tremendo amigo, um cara alto astral e sem papas na língua, partiu cedo, deixando saudade.

O Cena Aberta, no entanto, jamais esquecerá de Vilson Malacrida, portanto, está explicado: a partir de agora, a premiação leva o nome desse querido amigo.

Outra mudança: os colaboradores do Cena elegeram os que mais se destacaram durante todo o ano. Cinco pessoas deram seu pitaco, inclusive este que vos fala.

Em algumas categorias, empate coletivo. Uma única vitória unânime.

No final das contas, o mais importante não são os vencedores, e sim homenagear os que fizeram diferença na televisão. Vamos lá?

Melhor Ator: Empate coletivo

Murilo Benicio. O ator é um dos melhores (senão o melhor) de sua geração, e se consagra como um tremendo criador de tipos. Tufão, de Avenida Brasil, era um personagem difícil, ingênuo, passivo, chato até. E Murilo soube fazê-lo dignamente, dando-lhe uma ternura e o tornando simpático e boa-praça. (André Santana)

Tony Ramos. Mesmo em uma novela que não está tão atraente, Tony Ramos consegue chamar as atenções para si e ser o melhor em cena no fiasco do ano que é “Guerra dos Sexos” (Danilo Artimos)

Ricardo Tozzi. Interpretou brilhantemente dois personagens completamente diferentes,  Inácio e Fabian. Sua qualidade como ator ficou clara quando os dois tiveram que contracenar por vários capítulos de Cheias de Charme. (Gilmar Moraes)

Domingos Montagner, por O Brado Retumbante. A macrossérie foi um fiasco de audiência, no entanto, uma das melhores produções da Globo. Montagner, na pele de Paulo Ventura, presidente do Brasil, novamente fez jus não apenas ao rótulo de novo galã desejado da Globo, mas, especialmente, ao de cara com potencial, cheio de talento. Não a toa é disputadíssimo na emissora. (Annyston)

Marcelo Serrado. O Crô foi um grande diferencial na carreira do ator, que veio da Record onde só representava personagens violentos, em sua maioria os vilões. (Guilherme Rodrigues)

Ator coadjuvante: José de Abreu e Marcelo Novaes, empate

Só eu gostei do Cadinho, em Avenida Brasil! E gostei mesmo! Me diverti com o estilo de comédia proposto por João Emanuel Carneiro neste núcleo de vida própria dentro de Avenida Brasil. E Alexandre Borges, que começou a novela repetindo trejeitos de Jacques LeClair, soube encontrar o tom do personagem e, quando isso aconteceu, ele deitou e rolou, sem medo do ridículo. Embarcou no non sense proposto pelo texto e se deu bem. (André Santana)

Ao lado de Adriana Esteves, Marcelo Novaes nos presenteou com uma de suas melhores atuações. (Danilo Artimos)

2012 não pode passar em branco para José de Abreu, o cara, assim como Laura Cardoso, Adriana Esteves e José Wilker, virou hit, febre na internet. Seu “hi hi hi” deve concorrer com o “oi oi oi” entre os mais citados do Twitter. A cena da morte de Nilo, especialmente, entra para a história desse que é um dos grandes talentos de nossa dramaturgia. Zé de Abreu arrasou! (Annyston)

José de Abreu. Simplesmente impagável o seu Nilo. (Gilmar Moraes)

Marcelo Novaes. Depois de vários trabalhos no qual a maioria de veia cômica, aos poucos o ator foi conseguindo se adequar ao grande momento de sua carreira até o momento. (Guilherme Rodrigues)

Programa de Auditório: Programa Silvio Santos

Serginho Groismann segue como senhor de sua arena. Numa época em que os programas de auditório estão tomados de reality shows e quadros batidos, Altas Horas se destaca por manter no ar sempre assuntos interessantes. Boas entrevistas, música de qualidade ao vivo e a participação constante da plateia garantem a diversão. (André Santana)

Não tem como não ouvir “programa de auditório” sem pensar em um dos mais engraçados no ar, e mesmo após anos em cima do mesmo formato, Silvio Santos sempre surpreende com suas brincadeiras e traz um bom divertimento para os domingo a noite. (Danilo Artimos)

Esquenta. Sou Regina Casé Futebol Clube e seu programa é o que há, o domingo é outro quando a apresentadora e sua trupe chegam trazendo alegria para nossas tardes, é contagiante! (Annyston)

Programa Silvio Santos. O apresentador faz dele o melhor programa de auditório da televisão brasileira. (Gilmar Moraes)

Eliana. O programa está sempre se reinventando e ultimamente desbancando a audiência de um dos maiores comunicadores do país, sempre com muita qualidade ao que é proposto: entreter. (Guilherme Rodrigues)

Apresentador:  Silvio Santos

Sempre em ritmo de festa, o dono do SBT segue em sua melhor forma no comando do Programa Silvio Santos. Mais ferino do que nunca, Silvio se diverte em cena. Com isso, diverte a gente também! (André Santana)

Mudando da área esportiva para a musical, Tiago Leifert se mostra completamente a vontade diante do “The Voice Brasil” e consegue se destacar ao lado dos grandes músicos que são os treinadores e foco do programa. (Danilo Artimos)

Silvio Santos. Não tem pra ninguém, se na música “o cara” ainda é o Roberto Carlos, na TV hoje, amanhã e sempre será Silvio Santos. Difícil imaginar alguém com o potencial desse apresentador pra dominar um auditório e seguir divertindo seu público mesmo fazendo o chamado “mais do mesmo”. O programa pode não mudar, mas o comunicador está cada vez mais impossível! (Annyston)

Silvio Santos. Sem comentários. Seu programa não é a última bolacha do pacote, mas ele é e ele faz do seu programa uma grande opção. (Gilmar Moraes)

Cada vez mais louco e despudorado, o apresentador reforça o título de insubstituível e único, capaz de falar com todas as classes.  (Guilherme Rodrigues)

Humorístico: Furo MTV

Dani Calabresa e Bento Ribeiro formam uma parceria vitoriosa, à frente da bancada do Furo. Fazendo piadas sobre as notícias do dia, a dupla mostra que talento e um roteiro inspirado garantem a diversão bem mais do que pompa e pirotecnia. (André Santana)

Sem se preocupar com o politicamente correto, mas não indo muito longe em suas piadas, o Comédia é um dos melhores atualmente na TV e conta com um elenco sensacional. Marcelo Adnet lidera muito bem o grupo, mas o destaque é para a incrível Tata Werneck. (Danilo Artimos)

220v, do Multishow. Paulo Gustavo é um achado e, dentre esses novatos do humor, que fazem os tais “stand up”, é o único que realmente me diverte. Um artista completo, cheio de facetas. Por isso seu programa no Multishow é tão bom, porque é rico em humor. Paulo faz de tudo um muito! (Annyston)

A praça é nossa. Nem todos os quadros são bons, mas tem uns muito engraçados e que realmente fazem o programa valer a pena. (Gilmar Moraes)

Furo MTV. Dani Calabresa e Bento Ribeiro apresentam um programa hilário com sátiras sobre as notícias do dia. (Guilherme Rodrigues)

Jornalístico: Profissão Repórter

Passam-se os anos e a visão de Caco Barcellos e seus discípulos diante de diversos assuntos segue irretocável. (André Santana)

Profissão Repórter. O programa consegue se renovar todo ano e trazer reportagens interessantes com diferentes pontos de vista para o mesmo tema. (Danilo Artimos)

Estúdio i, da GloboNews. Maria Beltrão, seus convidados e colunistas debatem sobre os últimos acontecimentos do Brasil e do mundo em um programa agradável, divertido e, claro, informativo. É o tipo de notícia que não cansa. A gente se distrai enquanto se informa! (Annyston)

Conexão Repórter. Roberto Cabrini apresenta um programa completo que traz aona temas relevantes e  faz denúncias contundentes. (Gilmar Moraes)

Jornal Hoje. Um jornal que mistura notícias com dicas variadas ao dia a dia, sempre buscando o cotidiano e as necessidades de quem acompanha, sem contar a apresentação de uma das mais carismáticas jornalistas da casa: Sandra Annenberg. (Guilherme Rodrigues)

Infantil: Bom Dia & Cia

Voltando a apostar em teledramaturgia infantil, o SBT resgatou um público carente de opções. O sucesso de Carrossel prova que programa infantil dá audiência, sim! (André Santana)

Bom dia & Cia. Com o espaço das crianças voltando-se para canais de TV a cabo, o SBT é a única emissora que ainda separa o período inteiro da manhã para a molecada, e por mais que o programa continue seguindo uma fórmula batida, ainda é a melhor escolha para deixar as crianças na frente da TV. (Danilo Artimos)

Carrossel. A novelinha é a prova de que ainda existe público infantil na TV aberta, basta fazer algo que atraia a criançada e não insistir em desenhos batidos e sem graça. A geração atual tem investimento zero na TV aberta, infelizmente. Bons os tempos em que a TV tinha Castelo Rá-tim-bum, TV Colosso, Caça Talentos e cia. (Annyston)

Bom dia & Cia. A opção que sobrou para as crianças de manhã. Não é educativo, mas entretêm com brincadeiras e bons desenhos. O que é muito válido. (Gilmar Moraes)

Bom Dia & Cia. Um dos poucos programas que se mantém na TV aberta destinada a esse público, o programa mescla a comunicação com as crianças e a exibição de desenhos animados. (Guilherme Rodrigues)

Clique aqui e confira a segunda parte!



Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *