Túnel do Tempo: De Corpo e Alma

13 de fevereiro de 2011 0 Por Endrigo Annyston

Gente, já faz quase 20 anos! Dá pra acreditar?

A novela que estava catapultando a carreira de Daniela Perez, tornando-a queridinha do público como Yasmin – também a aproximou de um assassino.

Até hoje, quando ouvimos Wishing on a star, imediatamente nos lembramos de Yasmin, da novela e, inevitavelmente, da tragédia.

Mas De Corpo e Alma não se resume a apenas esse triste fato.

Quem tem mais de 25 anos com certeza se lembra do acidente de carro da personagem de Bruna Lombardi e o transplante de coração feito em Paloma, um dos primeiros merchandisings sociais da história das telenovelas.

E o Clube das Mulheres? Os homens-objeto?

Também presente no folhetim o direito a guarda de crianças e o movimento gótico, através do personagem de Eri Johnson.

Uma homenagem do elenco foi exibida no capítulo seguinte ao assassinato de Daniela Perez.

Durante sete dias os autores Gilberto Braga e Leonor Basséres assumiram a autoria da trama.

Quando retornou, Glória Perez inseriu dois novos temas a sua história: a morosidade da Justiça e a inadequação do Código Penal.

As informações são do Dicionário da TV Globo, que inclui outras duas curiosidades: a morte de Daniela não alterou os índices de De Corpo e Alma no Brasil, mas a audiência teve aumento de 20% em Portugal onde era exibida simultaneamente.

A novela marcou ainda a estreia de Cristiana Oliveira na Globo, após seu sucesso em Pantanal como Juma Marruá.