Two and a Half Men – 10×01

30 de setembro de 2012 0 Por Endrigo Annyston

Desculpa sociedade, mas eu ainda dou muita risada assistindo Two and a Half Men.

Charlie já pode ser considerado definitivamente como passado. A série sobreviveu uma temporada inteira sem ele e, pelo visto, ainda poderá render muito mais. Basta manter Jon Cryer como o centro das atenções que o resto é resto!

Como não rir de Alan preocupado em virar um desabrigado caso Walden se casasse com Zoey? Mesmo que ele tentasse fingir alegria pelo acontecimento, Berta fez questão de lembrá-lo o tempo todo que ele não passava de um parasita. Impagável.

O pedido de casamento foi algo digno de destaque. Walden caprichou na produção, com direito a fogos de artifício e Michael Bolton cantando ao vivo na hora da proposta. Aliás, a participação do cantor foi ótima e rendeu várias piadas, principalmente quando ele interagiu com Evelyn.

Quando Zoey não aceitou o pedido, Walden veio com a brilhante ideia de que ele e Alan deveriam formar um casal gay. Estava na cara que aquilo era só uma brincadeira do milionário, mas é claro que Alan teria topado sem pensar duas vezes. E sem a assinatura de um acordo pré-nupcial, que isso fique bem claro!

Achei até bom que Zoey tenha recusado a se casar com Walden porque arranjou outro homem. Nunca fui com a cara da moça, não sei bem por que. Talvez seja por seu irritante sotaque britânico, mas isso agora não tem a menor importância.

E o Jake, gente? Esse menino ganha um salário para dizer três falas por episódio, assim é fácil ser ator. Espero que ele tenha mais destaque quando voltar da guerra, se bem que ele perdeu um pouco da graça depois que cresceu.

Este foi um bom começo de temporada. Alan ainda é o fio condutor da série e Ashton Kutcher não passa de um figurante de luxo. Fôlego o programa mostrou que ainda tem, vamos ver até onde vai essa bricandeira.

* Peter Guimarães, do Desenhos de Gente Grande