Um BBB que desdenha de seu público!

O BBB deveria se chamar apenas B!…B de Boninho – já que além de se achar acima do bem e do mal, ele inventa e muda as regras sempre quando lhe é mais conveniente.

Nunca vi uma temporada do reality tão prepotente e presunçosa como a atual. A sensação que me passa é que, além de rirem da cara do telespectador brasileiro, eles queiram dizer “ a gente põe na colher, vocês engolem e depois pedem mais!”.

Primeiro vamos falar do Big Fone que ao meu ver é a maior ferramenta de manipulação do jogo! Ele toca esporadicamente, sem nenhuma regra ou ordem. Eu não irei fazer acusações – porém sintam-se livres pra classificar como insinuações – mas irei levantar 2 perguntas:

 1 – Vejo uma briga ou discussão de X e Y no BBB, sei que X está na mira da casa pra ir pro paredão, mas para mim é mais interessante que X fique; não seria mais conveniente eu tocar o Big Fone bem no momento em que X estiver por perto? Se ele atender, digo que ele ganhou a imunidade, mas caso uma outra pessoa seja mais rápida e atenda, invento qualquer coisa na hr.

2 – Quero que A vá para o paredão, sei que B,C,D e E não gostam dele. Toco o Big Fone perto de um deles, se eles atenderem digo que podem indicar uma pessoa pro paredão, mas caso uma outra pessoa atenda, simplesmente fico mudo e no dia seguinte mostro como se fosse uma pegadinha. É mais fácil, não?

Enfim, poderia ficar horas questionando o Big Fone ou falando das edições tendenciosas do programa, mas o meu foco, é a maneira como o telespectador é tratado pelo  “Boninho/pseudo-Deus/pseudo-malandro/pseudo-engraçado”.

No caso Daniel, a Globo simplesmente mostrou não saber lidar com a situação. O erro foi deixar que o Boninho resolvesse do seu jeito, causando uma dor no estômago pela vergonha alheia ao tentar fazer da situação uma piada no programa subestimando a capacidade mental dos brasileiros. O que não deu certo, as pessoas questionaram e pressionaram. O problema agora é que elas já esqueceram.

Hoje me aparecem com essa prova do líder cancelada que eu tô tentando entender até agora qual o nexo de tudo! Ainda que fosse um merchan escancarado, o fato era que a carta dele tinha um número maior que a do Fael e ponto. Se foi um erro deles, seria justo o Yuri nem ao menos poder participar da prova novamente? Porque não preferiram jogar mais transparente com o público e os participantes? O que tem a ver a Fabiana ganhar a moto também? Se o 2º lugar tinha que ganhar a moto, porque o Fael não ganhou da primeira vez?

Enfim… quando eu disse “pseudo-malandro” ali em cima, era porque a arrogância de Boninho subiu tanto à sua cabeça, que ele aos poucos está se enforcando e afundando um programa que ao menos antes tinha as suas maracutaias e manipulações escondidas, e não descaradas como estão nessa última edição.

Mas se nem o pai ele ouve, quem sou eu para fala algo…

Vinícius Cortez – ator e formado em Rádio e TV.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*