Um desabafo que se faz necessário

O internauta mais atento percebeu que de ontem para hoje o Cena Aberta está menos movimentado.

Nesta semana parei para repensar minha trajetória como crítico de TV devido aos últimos acontecimentos.

CQC, A Liga, Domingo Espetacular registraram recorde de audiência.

Um por conta de uma agressão, o outro pela forma com que a prostituição foi abordada e o terceiro pelo caso do menino que fuma, explorado a exaustão.

Ontem “novas novidades”: o SBT tentou esticar Uma Rosa Com Amor após ter desistido de encurtá-la. Já não tinha mais como e virão com mais uma reprise no horário nobre: Canavial de Paixões.

A tarde, outras duas: Esmeralda e Pérola Negra.

Sabe a conclusão que eu cheguei? Que estava perdendo meu tempo.

No texto sobre o Xou da Xuxa eu disse que aquele tipo de programa não funcionaria na TV de hoje, pois os tempos são outros e gostos – ou a falta de – também mudaram.

A TV é reflexo do telespectador em geral e eu não me encaixo e não quero mais participar disso.

Sabe quando você sente estar dando murro em ponta de faca, ao ver as pessoas que acham que um “jornal” como SP Record ou Brasil Urgente são realmente jornais e sequer sabem que além de A e B existem outros candidatos a presidente… bem, acho que já dá pra entender.

Estou dando um tempo e por um tempo não entendam como… “você vai parar?”.

Não.

Como disse, de ontem para hoje houve uma mudança e enquanto eu estou em meu “período sabático”, como diria Glória Maria, só vou tratar do que realmente importa.

Agradeço a compreensão e mais uma vez insisto: continuem se sentindo bem vindos.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*