Um mal necessário

Um mal necessário

24 de fevereiro de 2014 1 Por Endrigo Annyston
Que bom seria se os comerciais simplesmente não existissem, pelo menos durante as novelas. Quantas vezes a novela é interrompida no ápice ? Quando um acidente acontece e não sabemos se o personagem morreu ou se continua vivo, ou quando aquela revelação está prestes a ser feita, dentre outras coisas.
É uma situação muito chata. Mais chato ainda é quando ficamos na expectativa durante todo o comercial e a novela não volta de onde parou, ou seja, não volta no gancho. Não há coisa mais irritante, porque além do comercial teremos que esperar mais um pouco para sabermos o que irá acontecer. Gancho, para quem não sabe, é como se chama a situação que acontece no fim de cada capítulo e de cada ida para os intervalos também. É o que prende nossa atenção para assistirmos ao capítulo seguinte e, no caso dos comerciais, para assistirmos à próxima parte da novela, ao invés, por exemplo, de desligarmos a televisão ou mudar de canal e não voltarmos depois para assistirmos ao resto da trama.
Voltando aos comerciais, eles, na maioria das vezes, quebram mesmo o clima e irritam. Na novela das nove então, é comercial que não acaba mais. Mas são um mal necessário, sem eles não teria como a TV existir. Portanto, se você é daqueles, que como o que vos escreve, gosta de assistir às novelas na hora que elas passam e que só recorre à internet no último caso, a solução é só uma: ter paciência. Fico por aqui, um abraço a todos e até a próxima.
* Gilmar Moraes