VC no Cena Aberta: Escrito nas Estrelas

Confesso que de uns tempos para cá, tenho parado de assistir TV. Sou apaixonado por essa mídia, mas a falta de qualidade e o desrespeito ao público me fizeram trocar a TV pela internet – e isso já foi até debatido aqui no Cena Aberta, na sessão Ponto de Vista.

Fazia muito tempo que não tinha o prazer de assistir uma novela na faixa das 18h. Sabe quando você liga a TV com prazer e sente que o tempo passou tão rápido? É assim que me sinto com “Escrito nas Estrelas”. A novela me faz bem, me diverte e me emociona. Creio que desde “Alma Gêmea” não sentia o carinho que sinto por uma trama das seis.

Além dos noticiários – que assisto mais pelo lado profissional do que por prazer, “Escrito nas Estrelas” é o único programa que faz sentar no sofá e ter a alegria de ligar a televisão. Se bem que, nos últimos dias, nem os noticiários estão salvando mais…rs…a exploração do #CasoBrunoFlamengo, já virou uma novela nos noticiários. Aliás, tem jornal que só fala disso como se nada mais interessante acontecesse no mundo durante o dia. Mas, enfim…esse é um outro papo.

Mas, voltando a vaca fria…rs…o que quero mesmo é elogiar “Escrito nas Estrelas”. Como uma novela consegue fazer a gente se emocionar e se divertir ao mesmo tempo? A resposta vem na qualidade e na criatividade. Parabéns mesmo a Elizabeth Jhin, Papinha e a toda equipe dessa produção que se consagra como a melhor novela do ano, sem falsa modéstia. A Globo acertou em cheio! 0//

Tenho lido muitas críticas sobre a atuação do Humberto Martins, que interpreta ele mesmo em algumas cenas. Mas ontem (quinta), sem brincadeira, me emocionei com o diálogo que ele teve com a Dra Jane sobre como ela deveria valorizar a presença da filha e tentar entender a rebeldia dela. O personagem dele, o Dr Ricardo, perdeu o filho em um acidente, e passou toda aquela emoção de pai e, ao mesmo tempo, aconselhando a Jane a ser mais paciente com a filha Vanessa – mesmo sabendo que ela tinha feito uma arte daquelas ao encher a casa de amigos sem a permissão da mãe. Outra cena linda foi a cena do primeiro beijo da Vanessa com o menino bailarino: foi mágico!

Outra cena que adorei foi a briga da Berê e da Mundinha. Gente, eu ri d+…brigar pelo Seu Fininho com aquela mãe super protetora é rir de chorar!

“Escrito nas Estrelas” é um tapa na cara de roteiristas que acham que novela é só cena de sexo, violência e maldade. É uma novela com história, argumento e bons diálogos. Fica a dica para os autores atuais: exerçam melhor o seu potencial criativo.

* do internauta Wander Veroni


Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *