A Vida da Gente tem final bunda e lindo ao mesmo tempo

Detestei todos os momentos do capítulo final de A Vida da Gente que antecederam o desabafo de Nanda sobre Francisco. Ali começou a emoção.

Aquele final narrativo nas vozes de Rodrigo e Ana tem tudo a ver com o que exaltamos desde o início: o texto de Lícia Manzo.

Foi exatamente com mais um conjunto de frases bonitas, inspiradoras e tocantes que ela colocou um ponto final nessa novela que poderia ser um filme, mais longo que o comum, mas dos mais bonitos, emocionantes e inesquecíveis.

Um brinde ao tempo, aquele que realmente pode mudar tudo. Um final de novela sem o “felizes para sempre”.

Eva fez uma boa ação e deixou claro que continuava a mesma; Vitória nem tentou. Idem para Cris.

Sem casamentos, sem o óbvio, ainda assim, dando um final para cada um em meio a um clipe com a música tema na voz de Maria Gadú.

Detalhe importante: tanto se comparou Lícia com Maneco que entendi a cena final como uma homenagem ao mestre.

Lembram? Em Por Amor a união de duas famílias que viveram muitos conflitos e que se tornaram uma. Juntos, Helena, Atílio, Eduarda, Marcelo e o filho caminhavam juntos. Unidos.

Em A Vida da Gente tivemos a mesma pegada: as duas famílias, agora unidas, caminhando lado a lado.

É o tempo colocando tudo em seu devido lugar.

Obrigado, Lícia!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*