A Vida da Gente: Um elenco que fez sentir

Nos últimos cinco meses esse elenco, um dos melhores da história da telenovela brasileira, deu vida ao texto marcante de Lícia Manzo.

E alguns desses talentos merecem ter o nome destacado. Eles fizeram sentir.

Personagens que nos emocionaram e nos envolveram em suas histórias. São eles:

Fernanda Vasconcelos e Marjorie Estiano. A primeira pela surpresa de finalmente ter feito uma mocinha convincente após seguidas decepções; a segunda simplesmente por sido… Marjorie. É um dos maiores talentos de sua geração. A Globo nem sempre acerta na escalação de suas novelas, mas essa dupla é do balacobaco!


Ana Beatriz Nogueira por ter feito uma das mães mais perversas dos folhetins. Eu tenho pena de Eva, não é uma pessoa totalmente ruim, tem seus distúrbios, mas ama Ana de verdade. O problema é que o “resto é resto”. Show!


Nicette Bruno. E o quanto essa grande atriz emocionou com as sábias palavras de Iná? Basicamente A Vida da Gente andou através de sua ótica, fazendo as vezes até de cupido. Nicette é o tipo de atriz que já não tem mais nada a provar. Ainda assim, dá um baile!


Stênio Garcia pela fase complicada na saúde de Laudelino. Sua batalha foi tocante e um exemplo para diversos homens que enfrentam o mesmo problema.


Regiane Alves por ter tornado a Cris real. Caricata no início, fomos entendendo que era preciso ser assim. Uma perua ainda criançona, fazendo bico e só focada no próprio umbigo.


Maria Eduarda pela agradável surpresa que foi sua atuação e a de seu núcleo. Mandou muito bem como Nanda e foi um prazer conferir a atuação do pequeno Victor Navega Motta e Maral Descartes.


Mallu Galli pela guerreira Dora, aquela que é brasileira e … só desistiu no final da novela, com nosso total apoio. Dora é um exemplo de mulher e Malu um talento que merece diversas outras oportunidades.


Sthefany Brito por ter sido mais uma surpresa na história. Depois de todo o bafafá na vida pessoal, a atriz se mostra madura. Deixou de ser menina e se mostra como mulher.


Luis Serra, Claudia Mello e Rita Clemente por, ao lado de Nicette e Stênio, terem dado vida a um núcleo da “melhor idade”, um dos melhores já abordados em uma telenovela.


Anna Rita Cerqueira, outra que emocionou. Certeza que é um dos melhores talentos de sua geração. Tem futuro.


Kaic Crescente idem. Elle, Anna e Victor são excelentes, grata surpresa quando núcleos infantis são cheios de “tati bitati”.


Por fim, Rafael Cardoso. Não por ter sido um fenômeno e sim por não ter comprometido a novela enquanto Rodrigo. Sobra no meio de Fernanda e Marjorie, mas, insisto, não compromete.

A todos os citados – mereciam o destaque – e a todos os outros do elenco, direção, produção, roteiristas, meu muito obrigado.

Saudade é a palavra!

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*