Vilson, o que dizer pra você?

Eu não sei por onde começar, a única certeza que eu tenho é a de que eu precisava colocar isso pra fora, compartilhar meu sentimento com vocês, afinal, quem não conhece o Vilson?

Se não conheceu, lamento, perdeu a chance de ter por perto, mesmo que via internet, alguém incrível. Do tipo que você ama ou odeia. E muitos o amavam, a maioria.

Sem papas na língua, era um cara debochado, sarcástico e, muitas vezes, fazia uso de humor negro. Adorava se divertir e divertia quem estava disposto a levar o mundo com verdades, sem omitir opiniões.

Fora desse universo do humor, um amigo. Um cara que já faz parte da minha vida há uns quatro, cinco anos. Sempre presente.

Aquele tipo de pessoa que você pode até ficar um mês sem conversar, mas não porque a amizade esteve abalada, e sim porque a vida trata de te afastar um pouco, por n motivos, mas, sempre quando conversávamos, era como se esse intervalo não tivesse existido.

Duas frases minhas eram comuns na timeline: “não tem coisa mais deliciosa no mundo que trocar DM’s com o @vilsonm” ou “A Fazenda e BBB perdem muito por não me colocarem com o @vilsonm nos programas”. E eu disse isso muito.

Sempre afirmei que era meu gêmeo. Tínhamos pensamento muito parecido, por isso, talvez, nos dávamos tão bem. Isso porque muitos afirmam que os opostos se atraem.

No nosso caso sempre foi totalmente o contrário.

Vilson, além de tudo isso, também era um guerreiro. Trocou o certo, sua vida em Presidente Prudente, pelo “duvidoso” em São Paulo. Deu a cara a tapas e foi a luta, realizar seu sonho.

Não era o tipo de pessoa que apenas sonhava, fazia acontecer. Um cara realmente admirável.

Por tantas qualidades, por ser tão incrível, custo a crer que seja verdade que neste dia, 3 de agosto, eu esteja escrevendo um texto de despedida. Não cai a ficha.

E uma morte tão estúpida. Nos deixou vítima de meningite meningocócita fulminante. (atualizado)

Quando vi as pessoas comentando pensei que fosse uma brincadeira, ele era assim. Só que, bem, não chegaria a tanto.

Mas eu juro que adoraria que fosse mais uma sacanagem do Vilson. Meu amigo, meu parceiro, meu irmão.

Que Deus conforte sua mãe, sua família, seus milhares de amigos, todos sem chão nesta manhã de sexta feira.

Peço, especialmente, que Ele te receba com muito carinho.

E você, aí de cima, vai ter a certeza que jamais te esquecerei. Obrigado por tudo, AMIGO!

Pra mim você não morreu. Pessoas como você nunca morrem. Nunca.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será publicado.


*