Viva Voz Verão nos coloca pra pensar em nossos próprios momentos

Esse especial de verão do Viva Voz de Sarah Oliveira consegue ser melhor que a versão original.

Ao mesmo tempo em que a gente continua conhecendo algumas particularidades do convidado, nos vemos na tela através de outras pessoas que relatam momentos de suas vidas que foram embalados pelos hits do cantor.

E aí que, papo vai, papo vem, acabamos nos emocionando com Nando Reis falando da inesquecível Cássia Eller, por exemplo.

Ou rola um Lulu Santos dizendo se arrepiar quando canta, tamanho é o envolvimento com sua arte: “Eu sou epiderme”.

No caso de Lulu meu envolvimento foi ainda maior pois, desde que me conheço por gente, ele é um dos meus ídolos. Eu ainda era criança quando a Globo exibia a primeira temporada de Malhação e Assim Caminha a Humanidade virou um hino daquela geração.

Logo depois veio a versão de Dancing Days e, naquela época, era moda ligar nas rádios pedindo música. Tipo, você nem conseguia linha tamanho era o número de pessoas ligando.

E a internet ainda era um sonho, portanto, eu desconhecia o nome da música e ainda assim ligava todo dia pedindo “toca festa do Lulu pra mim”?

Também quando ouço “e a gente vive junto, a gente se dá bem, não desejamos mal a quase ninguém”  volto nos tempos de colegial quando eu uma amiga vivíamos tipo um momento Big Brother com a sala de aula dividida e costumávamos cantar essa letra para nossos “amigos”.

Ou seja, o programa tá fazendo com que embarquemos juntos nessa viagem.

E quantas músicas marcaram nossas vidas, quantos cantores são inesquecíveis?

Por isso acho que o “Verão” deveria ser mais que um especial, afinal, ainda existem muitas histórias que merecem ser contadas.

Parabéns, Sarah!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *